14 de janeiro de 2016

7 Dicas de Destinos Gay Friendly para 2016 – Mundo (Fabio)

Quais os destinos gay friendly em alta para 2016? Quais as dicas de viagem gay que vão bombar esse ano? Seja você uma #BiRomântica, uma #BiFervida ou até uma #BiAventureira, existem destinos incríveis e totalmente gay friendly pelo mundo para você curtir e se planejar em 2016.

Por isso, a equipe do Viaja Bi! resolveu entrar em contato com algumas pessoas que entendem do assunto e são destaques no meio turístico para falar sobre dicas e sugestões de roteiros para os viajantes LGBT.

Nosso muito obrigado a todos que colaboram para essa matéria. Infelizmente nossa pauta também previa destinos gay friendly no Brasil, mas entre os órgãos oficiais de turismo consultados, Florianópolis não respondeu, Recife ficou de enviar informações mas não recebemos em tempo e destinos informaram que não possuem informações específicas para o público LGBT, como o Rio de Janeiro ou São Paulo. O que indica que ainda temos um caminho longo para desenvolver e aperfeiçoar o turismo LGBT no Brasil.

Bora conferir e planejar a próxima viagem? Os destinos gay friendly NÃO estão em ordem de preferência.

Destinos-Gays-Friendly-Mundo

 

1 – Alemanha

Porque Visitar: Não há dúvidas que a Alemanh é um dos destinos gay friendly mais conceituados no mundo e onde os direitos da população LGBT são mais respeitados. Casais do mesmo sexo têm direito de adotar crianças e os atos de discriminação aos gays são proibidos por lei. Ou seja, onde os alemães gays são respeitados e incluídos na sociedade, os turistas não deixariam de ser, não é Bi? Entre os eventos mais fervidos, que atraem turistas e os alemães, logicamente, está a versão da Parada do Orgulho Gay, chamada Christopher Street Day (CSD), que ocorre em quase todas as grandes cidades, mas principalmente em Berlim, Colônia, Frankfurt, Hamburgo e Munique. Em Berlim, em Colônia e em Munique, acontecem em julho.

Destinos-Gay-Friendly-2016-Berlim

Principais Eventos: Para falar sobre a Alemanha como um destino gay friendly, falamos com a Margaret Grantham, diretora do DZT – Centro de Turismo Alemão. Além dos eventos tipicamente gays, ela também destaca outros como o Carnaval de Colônia, o KitKatClub – Carneball Bizarre, o Festival Internacional de Cinema Berlinale (em fevereiro) e o Tollwood Festival de Verão (que atrai público alternativo para o Parque Olímpico em Munique, em junho e julho). Outros eventos você encontra no nosso Calendário Gay de 2016. Não dá para esquecer da Oktoberfest, que ocorre em Munique de 17 de setembro a 03 de outubro de 2016. Enfim, tem evento tanto para as #BiOrgulhosas que não podem ver uma bandeira do arco-íris para sair festejando, como para as bis que querem conferir outros eventos e mesmo assim se sentirem bem recebidas.

Margaret lembra que “Berlim é considerada a capital gay e lésbica da Europa”. O visitBerlin lançou em 2013, a coleção “Pink Pillow” (Travesseiro Rosa), uma coleção de hotéis gay-friendly. “Este projeto fez de Berlim a primeira cidade do mundo a adotar um programa de turismo LGBT a longo prazo.”

O que fazer: Em Berlim, o Museu da Homossexualidade foi fundado em 1985 e tem crescido como uma das mais importantes instituições no acervo da história e  cultura da comunidade LGBT. E não dá pra deixar de fora o Schönenberg, o primeiro bairro gay de Berlim. Fique ligado que em setembro rola a Folsom Berlim, versão na Europa da famosa festa de leather e fetichistas de São Francisco.

Sobre Colônia, Margaret salienta que a cidade “tem uma grande população LGBT, que desfruta de ótimos e variados locais que atendem a diferentes idades e interesses, sobretudo os localizados entre as estações de metrô Friesenplatz, Rudolfplatz e Neumarkt, região conhecida como Triângulo das Bermudas“. Basta percorrer a Schaafenstraße para encontrar vários lugares super bafônicos.

Destinos-Gay-Friendly-2016-Alemanha

A Oktoberfest, em Munique, possui dias e tendas voltadas ao público LGBT

“Munique, por sua vez, tem a terceira maior cena gay depois de Berlim e Colônia”. Uma curiosidade apresentada por Margaret é que na Oktoberfest de Munique há tendas (Bräurosl, Fischer Vroni e Schottenhamel) com dias específicos para gays e lésbicas, que participam com as roupas típicas da Baviera. A concentração gay rola no bairro de Glockenbach (Glockenbachviertel), próximo às Gärtnerplatz Square e Hans-Sachs-Strasse. Aliás, o bairro foi o lar de Freddie Mercury. Enfim, é vida, agito e atrações para gay nenhum botar defeito.

 

2 – Sidney, Austrália

Porque Visitar: Poderíamos estar falando somente de Sidney como um dos melhores destinos gay friendly do mundo, mas provavelmente estaríamos sendo injustos com o restante do país. Para falar sobre a Austrália, conversamos com a Rafaela Casalecchi, da agência de turismo Southside Travel, que trabalha com turismo LGBT. Segundo a Rafaela, que já viveu na Austrália e é casada com um australiano, “quase todas as cidades da Austrália comemoram o Orgulho Gay de alguma forma sendo o mais famoso de todos o Sydney Gay and Lesbian Mardi Gras

Principais Eventos: O grande destaque é o Mardi Gras de Sidney. As #BiOrgulhosas do mundo todo vão dar pinta no evento. Mas se falarmos de eventos fora de Sidney, há também o Queer Film Festival de Queensland, o Orgulho Tropical de Cairns, o Gay Day da Gold Coast e também festivais do orgulho gay comemorados nas cidades de Alice Springs e Hobart. “Isto apenas para mencionar alguns, pois há ainda mais eventos ao redor da Austrália ao longo do ano”, lembra Rafaela.

Destinos-Gay-Friendly-2016-Australia-Sidney

Mardi Grass em Sidney, um dos destaques da programação gay na Austrália

O que fazer: Terra de belíssimas praias (um dos mais longos e contínuos litorais do mundo), “a Austrália é o lar de algumas das mais belas e isoladas praias que você esperaria encontrar”. E a Rafaela dá a dica: “A costa oeste da Austrália entre Perth e Darwin tem algumas das belezas mais impressionantes e natureza única que você pode encontrar em qualquer lugar do mundo. E por ser uma costa longa e remota, longe do turismo movimentado da costa leste, você pode facilmente se encontrar em lugares onde será, literalmente, a única pessoa por milhas e milhas em todas as direções.” Ou seja, garantia de cenários paradisíacos para você e seu amor.

Na Áustralia, o negócio é apostar nas praias, várias paradisíacas

Na Áustralia, o negócio é apostar nas praias, várias paradisíacas

Mas se você é #BiSolteira ou #BiPegadora e quer conhecer a beleza e a amabilidade do povo australiano (para não mencionar outros atributos), tem que visitar as cidades de Sydney e Melbourne. E como falar de Austrália e não lembrar da Grande Barreira de Corais? Outra dica da Rafaela é que “para a verdadeira experiência de Outback Australiano (e não estou falando do restaurante), nada mais típico que a cidade de Alice Springs, no centro geográfico do país, que é super LGBT-friendly, com um estilo de vida divertido, leve e alternativo no deserto”. Obrigado pelas dicas Rafaela, e se você ficou com vontade de conhecer a Austrália, não deixe de entrar em contato com a Soutshside Travel.

 

3 – Riviera Nayarit, México

Porque Visitar: Você provavelmente já ouviu falar de Puerto Vallarta como um dos destinos gay friendly mais recomendados do mundo. Mas se você gosta de viajar com estilo e não abre mão de boas hospedagens, talvez seja interessante conciliar Puerto Vallarta (no estado de Jalisco) com a Riviera Nayarit (no estado de Nayarit), ambas na Costa Pacífico do México e situadas a menos de 1 hora de distância. Em dezembro de 2015, o Estado de Nayarit modificou o Código Civil e agora também permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Com isso, Nayarit tornou-se um destino ainda mais atrativo para o público LGBT.

No Hard Rock Hotel de Nuevo Vallarta, na Riviera Nayarit

Principais Eventos: Nós conversamos com o Richard Zarkin, gerente de relações públicas do Escritório de Visitantes e Convenções da Riviera Nayarit, que também é gay. Ele comenta que pode ser uma ótima opção conciliar, por exemplo, a Vallart Pride, que acontece de 17 de Maio até 29 de Maio (isso mesmo, mais de uma semana de festas) com uma semana de relax na Riviera Nayarit.

O que fazer: Zarkin ressalta que a combinação de acomodações luxuosas, restaurantes com chefs renomados e natureza única tem aumentado cada vez mais a procura pela Riviera Nayarit. O Four Seasons Punta Mita e o Hard Rock Hotel em Nuevo Vallarta são alguns dos destaques de acomodações gay-friendly na região, e oferecem cerimônias de casamento e pacotes de lua de mel para casais do mesmo sexo. “Riviera Nayarit é um destino que acolhe a todos”, afirma Zarkin. “São mais de 200 quilômetros de costa com hotéis luxuosos, natureza selvagem e a rica e amigável cultura mexicana que cresce continuamente em popularidade entre a comunidade gay dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Argentina e Brasil, entre outros países”.

A Playa Escondida é uma das principais atrações da Riviera Nayarit, no México

A Playa Escondida é uma das principais atrações da Riviera Nayarit, no México

Eu tive o privilégio de conhecer a região em 2013 e posso atestar que o lugar é incrível. Alguns dos destaques são as Ilhas Marietas (com a famosa Playa Escondida, só acessível de barco) e a charmosa e colorida Sayulita. Não deixe de considerar para uma próxima viagem se você gosta de conciliar lugares paradisíacos com alguns dos melhores hotéis em que já me hospedei.

 

4 – Brighton, Grã-Bretanha

Porque Visitar: Em se tratando de destinos gay friendly, a Grã-Bretanha também está entre os destinos mais procurados. O Rafa Leick já viveu por lá e escreveu uma matéria aqui no Viaja Bi! falando sobre Londres. Para saber mais sobre o quão friendly é o país, conversamos com Mitsi Goulias, Gerente de Imprensa e Relações Públicas do Visit Britain. Mitsi nos lembra que um dos grandes destaques de lá é Brighton. “Com uma porcentagem maior de famílias homossexuais (de acordo com o Conselho de Brighton & Hove) do que qualquer outro lugar do país, Brighton é oficialmente a cidade mais gay do Reino Unido. Fica a menos de uma hora de trem de Londres, tem uma cena gay vibrante especialmente no bairro de Kemp Town.” Ela nos lembra ainda sobre casais gays famosos que passaram por lá, como Oscar Wilde e seu amante Lord Alfred “Bosie” Douglas e a escritora Virginia Woolf e a poeta Vita Sackville-West.

Destinos-Gay-Friendly-2016-Brighton

Brighton é a cidade mais gay friendly do Reino Unido

Principais Eventos: Como destaque no calendário gay está Brighton Pride, que em 2015 completou 25 anos de existência e em 2016 está prevista para os dias 5 a 7 de agosto. E tem também o Brighton Bear Weekend, para a comunidade de ursos cada vez mais em alta. Mitsi também destaca a Brighton Marathon Weekend (15 a 17 de abril), o Foodies Festival, um dos principais eventos de gastronomia da Grã-Bretanha e o Brighton Festival, que em 2016 completa 50 anos de existência, o maior festival multi artístico da Inglaterra (inclui programação de arte, dança, literatura, música, teatro e eventos para a família).

O que fazer: Entre as principais atrações turísticas do destino, Mitsi destaca o Museu de Brighton (com “exposição excelente sobre a história local LGBT”), mas lembra que “mesmo as atrações predominantes da cidade têm certa influência. Brighton Pier é o exemplo típico do kitsch à beira-mar, e o opulento e ostentoso Royal Pavilion não poderia ser mais gay”. Como Brighton é um balneário, o destaque fica obviamente para a praia, sempre lotada em dias de verão. Rola também uma praia de nudismo perto da marina, onde as Bis podem manter a privacidade graças a um cume de cascalho.

Mitsi destaca para como grande novidade para 2016, a inauguração da i360, “a torre de observação giratória e sustentável mais alta do mundo”. Com seus 162 metros de altura, 6 metros mais alta que o topo da London Eye (a torre foi criada pelos mesmos arquitetos), essa torre promete levar qualquer Bi para às alturas. Serão admitidos 200 visitantes por subida.

A torre panorâmica promete ser o grande destaque de Brighton para 2016

A torre panorâmica promete ser o grande destaque de Brighton para 2016

 

5 – Tel Aviv, Israel

Porque Visitar: Tivemos dois encontros com pessoas representativas do turismo de Israel, para conhecer um pouco mais como está rolando a promoção do destino como uma opção gay friendly, inclusive para os brasileiros. E saímos das duas reuniões muito animados. Tivemos um bate-papo com Cleo Ickowicz, Diretora de Marketing do Escritório do Ministério de Turismo de Israel no Brasil, e ela comenta a intenção de Israel em promover outras abordagens além do turismo religioso. Entre eles o turismo gay, cuja grande meca é Tel Aviv. No ano passado, o Ministério desenvolveu uma ação em conjunto com a revista ViaG e com o canal do YouTube “Põe na Roda”, que ajudou bastante a esclarecer os viajantes LGBT e também quebrar preconceitos. Quem ainda não viu os vídeos do Põe na Mala Tel Aviv, estão imperdíveis.

Em recente entrevista do Felipe Abe no canal do Viaja Bi!, ele até comenta que apesar das notícias ruins que costumam frequentar a mídia sobre Israel, Tel Aviv foi um dos lugares em que ele se sentiu mais protegido durante viagens. Dá uma conferida na entrevista no YouTube, está muito legal.

Principais Eventos: Outra pessoa com quem conversamos foi Nadav Peretz, que é responsável por uma agência de turismo focada no público LGBT, a Outstanding Travel (em breve vamos ter mais matérias falando sobre eles por aqui). A agência trabalha com pacotes de 4, 7 ou 10 dias em Israel, mas também com roteiros personalizados. Um dos pacotes que prometem ser mais concorridos, é lógico, é a semana da Tel Aviv Pride, que ocorre de 29 de maio até 5 de junho.

Destinos-Gay-Friendly-2016-TelAviv

O que fazer: Os destaques de Tel Aviv ficam para as praias, o clima de total aceitação à comunidade gay e para os homens bonitos, é lógico, mas quem disse que você não pode fazer a #BiReligiosa e conferir a emoção de pisar na terra onde Jesus nasceu? Pois é, Jerusalém promete ser também um destino emocionante. E se você curte destinos cinematográficos como eu, que tal incluir Petra em sua viagem. Petra (que fica na Jordânia, país vizinho de Israel) é conhecida por ter sido locação do filme “Indiana Jones e a Última Cruzada”, faz a #BiIndiana.

 

6 – Amsterdam, Holanda

Porque Visitar: Um dos destinos gay friendly mais imperdíveis para 2016, mas que na verdade tem sido um destino perfeito para viajantes gays, é Amsterdam. Para saber mais sobre os eventos e destaques de 2016, nós entramos em contato com o Escritório de Marketing de Amsterdam. De acordo com eles, “em nenhum lugar do mundo você vai encontrar tantas atrações gay friendly por metro quadrado como no centro de Amsterdam”. Eles também salientam que a comunidade gay sempre foi forte na cidade e “por séculos ‘Amsterdammers’ tem tido uma postura bem tranquila e tolerante em relação a diferentes estilos de vida”.

Já extremamente colorida, Amsterdam já tem todas as cores do arco-íris

Já extremamente colorida, Amsterdam já tem todas as cores do arco-íris

Eu estive em Amsterdam e posso dizer que é isso aí mesmo, eles são tranquilos e tudo parece tão normal que um beijo gay  é coisa mais normal que existe.

Mas só para garantir, a cidade conta com uma rede de policiais LGBT (a Pink and Blue Police Network), formada por gays, lésbicas e transexuais.

Principais Eventos: O principal evento para os LGBTs é Amsterdam Gay Pride. É uma das maiores celebrações desse tipo no mundo, reunindo mais de 350 mil participantes e visitantes. O evento começa num sábado e termina no domingo (da outra semana). Mas em 2016 essa celebração promete ser ainda maior, uma vez que será substituída pela EuroPride – Amsterdam, que vai atrair ainda mais gente. A EuroPride é um evento internacional que ocorre cada ano em uma cidade européia. “Durante a parada, a cidade ganha um vibrante arco-íris de eventos em espaços de lazer gays ou héteros, como festas de dança, projeções de filmes, eventos de esporte, debates, exibições e muito mais.

A Parada Gay de Amsterdam acontece nos canais

A Parada Gay de Amsterdam acontece nos canais

E não dá para pensar em Amsterdam e não lembrar dos seus famosos canais, né? Durante o Amsterdam Gay Pride, acontece a Canal Parade, na qual toda a comunidade LGBT flutua em balsas coloridas e lindas pelos canais da cidade. Parece incrível, hein? Eu quero!!!

O que fazer: O Homomonument (Gay Monument) é o primeiro monumento gay do mundo e celebra todos que já sofreram perseguição por conta de sua orientação sexual, especialmente aqueles que perderam a vida na Segunda Guerra. Próximo do Homomonument está o Pink Point, um quiosque que traz todas as informações para os visitantes gays na cidade. Ah, vende também aquelas lembrancinhas coloridas que a gente adora.

 

7 – São Francisco, Estados Unidos

Porque Visitar: Outro destino gay friendly que não poderia ficar de fora é São Francisco, na Califórnia. Para saber mais, entramos em contato com a Assessoria de Comunicação de São Francisco no Brasil. Se em 2015 a Suprema Corte dos Estados Unidos legalizou o casamento gay em todo o país, São Francisco já debatia o tema há muito tempo. Onze anos antes, em 2004, a cidade emitiu a primeira licença de casamento entre pessoas do mesmo sexo, na união de Del Martin e Phyllis Lyon. Símbolo do movimento, São Francisco foi pioneiro em diversos aspectos, como a Parada do Orgulho Gay, que em sua primeira edição em 1970 reuniu apenas 30 pessoas nas ruas e o bar Twin Peaks, que foi primeiro estabelecimento gay assumido.

Golden Gate, um dos cartões postais de São Francisco

Golden Gate, um dos cartões postais de São Francisco

Principais Eventos: E já que falamos no pioneirismo da Parada do Orgulho Gay em São Francisco, a 46a. Parada acontece nos dias 25 e 26 de junho. Outros eventos de destaque na programação gay de São Francisco são o Carnaval de São Francisco, em maio; o Festival Internacional de Cinema LGBT em junho, a feira de fetiche Folsom Street Fair no dia 25 de setembro e finalmente a Castro Street Fair no dia 04 de outubro.

Casal na Folsom Street Fair, evento para os loucos por couro

Casal na Folsom Street Fair, evento para os loucos por couro e fetiches diversos

O que fazer: Uma das maiores comunidades LGBT do mundo fica em Castro, também conhecido como a “capital gay do mundo”. Ao longo das calçadas do bairro, os pedestres encontram 20 placas da Rainbow Honor Walk contando a história do movimento gay. Um dos residentes mais famosos da região foi Harvey Milk. O político e ativista foi o primeiro homossexual assumido a ocupar um cargo público nos Estados Unidos. Atualmente, o bairro é conhecido pela sua agitada vida noturna, com diversos bares e restaurantes, e se tornou parada obrigatória para os turistas em busca de diversão. Outras atividades e atrações turísticas você encontra na nossa matéria sobre São Francisco aqui no Viaja Bi!, destino que visitei em 2005.

É isso aí, espero que vocês tenham gostado da lista. Se conhece algum desses destinos, não deixe de comentar. E se ficou faltando algum lugar imperdível, também deixe sua lista de lugares imperdíveis pelo mundo.

Leia também: 7 Dicas de Viagem Gay Friendly para 2016 – Brasil

Compartilhe:
Tags:

Sobre Viaja Bi!

Viaja Bi!

O Viaja Bi!, é um site de viagens dedicado ao público LGBT, idealizado pelo blogueiro experiente Rafael Leick, que também escreve para o Viagem Primata e ExploraSampa. O projeto conta com colaboradores e com um canal no YouTube.

  • Website
  • Google+
  • Instagram
  • Email

14 Comentários

  • Eloah Cristina
    2016-01-15 18:33

    Uau! Quantos lugares maravilhosos temos que incluir na nossa lista para conhecer.
    Como não conheço nenhum deles, eu acho que posso já começar a organizar todas as minhas novas viagens <3
    Ficou ótima matéria 🙂

  • Rodolfo Costa
    2016-01-24 17:13

    E destinos nacionais?? Abs.

    • Rafael Leick
      2016-01-24 18:38

      Oi, Rodolfo. Como falamos no post, não tivemos retorno de nenhum dos destinos nacionais, infelizmente.
      Mas se você der uma fuçada na categoria Brasil aqui no blog, vai ver muita coisa que já falamos dos destinos nacionais.
      São Paulo e Rio talvez sejam os maiores expoentes, mas Florianópolis também se destaca e Recife vem fazendo um esforço nesse sentido e vem sendo reconhecida como uma cidade LGBT-friendly. Ainda não conheço, então não posso falar muito ainda. Preparamos também um roteiro em Santo Antônio do Pinhal, interior de SP, Gramado, Foz do Iguaçu, Tiradentes, Monte Verde, Búzios e Bonito.
      Espero ter ajudado. 😉
      bjs

  • Samuel
    2016-02-02 20:11

    ótimo!!! vou conhecer 2 deles esse ano!!! <3

  • Alexandre Castanheira
    2016-02-29 21:39

    Eu vi uma reportagem sobre estes destinos na revista Super Top Bears, acho interessante abordar estes temas! Mas uma pena que as agencias que se dizem especializadas em grupos GLBT nunca tem nada para oferecer para estes destinos e quando aparece, parece ser mais caros que pacotes tradicionais!

    • Fábio Pastorello
      2016-03-10 12:34

      Oi, Alexandre. Acho que os pacotes gays são mais customizados, por isso demandam planejamento personalizado e saem mais “caros”. Mas por experiência própria: às vezes é melhor gastar um pouco mais, na certeza que a viagem vai ser legal. Sabe aquela história do barato sai caro? Mas está aí o desafio das agências: atender o público gay e ao mesmo tempo oferecer preços competitivos. Conversamos já com alguns agentes de viagem sobre isso e acho que uma saída é ficar de olho quando eles oferecem pacotes já prontos, pois aí vc se encaixa em um roteiro em grupo já organizado e, consequentemente, o preço fica melhor. Abraços e obrigado pelo comentário.

  • […] Tenho, uai! Senão não estaria contando isso pra vocês! Quando o Fabio escreveu falando das 7 Dicas de Destinos Gay Friendly para 2016 no Mundo, Tel Aviv foi citada como um dos destaques pra esse ano. E se você é uma #BiDesconfiada e quer […]

  • Brenda Thayna
    2016-05-07 11:03

    Eu viajei uma vez para a Austrália e não vejo a hora de retornar. O único problema de lá é que dá uma vontade imensa de ficar por lá mesmo, rsrs

    • Rafael Leick
      2016-05-12 23:09

      Eu ainda não conheço a Austrália, mas morro de vontade… <3

    • Fábio Pastorello
      2016-05-30 16:54

      Hahaha Imagino, taí um país que deve dar vontade mesmo não de conhecer, mas de viver mesmo. Beijos.

  • Daisy
    2016-09-29 21:03

    Alguém sabe indicar um lugar legal, GLS, para passar o Réveillon?

    • Rafael Leick
      2016-10-02 03:04

      Oi, Daisy. Todos esses destinos do post são bem receptivos. Vai do seu gosto, mas todos eles funcionam bem =)
      bjs

Comentar

Use a caixa de comentários para tirar dúvidas, assim você ajuda outros viajantes a lacrar pelo mundo. Sugestões, críticas construtivas e elogios também são bem-vindos. Os campos marcados são obrigatórios.*