1 de março de 2017

Fernando de Noronha, um pedaço do paraíso no Brasil

Falando dos lugares mais incríveis em que visitamos nos últimos anos, sem dúvida alguma, Fernando de Noronha tem um espaço especial em nossos corações.

Uma das coisas mais loucas (ou programadas) que fazemos todos os anos, no mês de novembro, é atualizar uma wishlist bem clara de lugares no Brasil que queremos conhecer. Assim, quando chega a Black Friday, nossos olhos vão direto para os sites de passagens, olhando todas as promoções que poderiam ter alguma liga com a nossa listinha. E para a nossa surpresa, Fernando de Noronha estava super atrativa para o feriadão de novembro de 2016 (sim, isso mesmo, compramos as passagens em novembro de 2015).

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

Passagens nas mãos, foi o momento de buscarmos um hotel maneiro na ilha, de preferência algo confortável, gay-friendly e num budget aceitável. Aqui começam os percalços dos desavisados a este fabuloso destino: a ilha de Fernando de Noronha é cara, muito cara, em todos os ângulos que possa ser vislumbrada. Pagamos por uma pousada mediana, o mesmo que pagamos por um luxuoso resort isolado na ilha de Phi Phi, na Tailândia. Mas OK, é o preço que se paga por um paraíso onde grandes embarcações são proibidas, e o governo cuida, com lupa, das áreas ambientais.

Ao chegar na ilha, e essa informação é relevante, paga-se R$ 65 pela entrada ao Parque Natural, e uma diária de R$ 43,60 pela estadia na ilha. Sim, é um valor a se considerar para dar pinta nesse destino turístico tão aclamado.

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

Já na ilha, só diversão! Alugamos um buggy, pois de ponta a ponta a ilha tem 7km e as praias são distantes umas das outras. Com isso, conseguíamos nos movimentar com facilidade.

A primeira praia que visitamos, foi a Baía do Sancho, eleita duas vezes pelo Trip Advisor como a mais bela praia do mundo. E com razão. Águas cristalinas, um mar tranquilo, pouca gente e nenhuma infraestrutura (o governo não permite nessas áreas de proteção venda sacolés, queijo coalho, cangas e outras coisas). O inconveniente é que quando se precisa de água ou coisa assim deve-se voltar à entrada da praia, onde tem um quiosque de vendas do guarda-parque. Ou, assim como nós fizemos, você pode levar sua sacolinha com água, aperitivos, canga, toalha etc. para evitar esse aborrecimento.

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

A natureza deixa o queixo caído, tira o ar, e acaba com a memória do celular, de tantas fotos que ela exige de nós.

Em seguida, partimos para a praia ao lado, a Baía dos Porcos, famosa pelos morros Dois Irmãos. Para chegar nela, é necessário passar pela praia Cacimba do Padre, numa pequena trilha. Neste cartão postal de Noronha, um pequena faixa de areia e muita água transparente, além do visual indescritível. Se Jorge Amado falasse de outro lugar que não a Bahia, aqui seria o cenário ideal para a criação de mais uma de suas heroínas.

Aqui vale relaxar e aproveitar o vizu. Pensa num dia em que Deus estava realmente inspirado quando criou o mundo!

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

No final do dia, seguimos uma dica e fomos para o sunset no Bar do Meio, entre as praias da Conceição e do Meio. Qual a nossa surpresa? Esse bar superou todas as expectativas e garantiu nossa presença obrigatória todos os dias em que ficamos na ilha. Para o pôr do sol, uma música variando entre MPB e um lounge bem agradável, lembrando os famosos sunsets de Mykonos (sem show de drags).

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

André tomando uns bons drinks no pôr do sol em Fernando de Noronha - Foto: Antonio e André

André tomando uns bons drinks no pôr do sol em Fernando de Noronha – Foto: Antonio e André

Gente linda, muito linda, comida boa e ótimas bebidinhas. Não deixem de experimentar aqui a Cartola, a sobremesa favorita do Antonio.

Como a ilha é praticamente deserta, é este o ponto onde se podem encontrar “maizamigues”. Ainda assim, poucos gays, muito menos do que pensávamos que Fernando de Noronha teria.

Pôr do sol em Fernando de Noronha - Foto: Antonio e André

Pôr do sol em Fernando de Noronha – Foto: Antonio e André

Pôr do sol em Fernando de Noronha - Foto: Antonio e André

Pôr do sol em Fernando de Noronha – Foto: Antonio e André

No dia seguinte, fizemos o tão esperado mergulho a 10m de profundidade. André sempre com fobia do mar e Antonio despistando os instrutores para ganhar mais liberdade nas profundezas do oceano em busca de Namor, o príncipe submarino.

O passeio é lindo, as águas são límpidas, é possível ver golfinhos, areias e uma série de peixes exóticos. O mar traz a sensação de liberdade, e mostra como a diversidade de Noronha vale todos os reais gastos até então.

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

Antonio se preparando para o mergulho em Fernando de Noronha - Foto: Antonio e André

Antonio se preparando para o mergulho em Fernando de Noronha – Foto: Antonio e André

Surpresa nossa, que no pequenino porto de Noronha, onde atracamos após o mergulho, haviam duas bandeiras LGBT nas areias da praia. Infelizmente não era um point ou algo assim. Devia ser resquício da animada semana gay que havia ocorrido alguns meses antes. Normalmente em agosto, acontece a festa gay Love Noronha. Veja as datas de 2017 no Calendário Gay Internacional do Viaja Bi!.

Quiosque com bandeira gay em Fernando de Noronha - Foto: Antonio e André

Quiosque com bandeira gay em Fernando de Noronha – Foto: Antonio e André

Um outro atrativo, que recomendamos muito, é assistir aos golfinhos logo pela manhã, na Baía dos Golfinhos. É um caminho lindo pela natureza, onde chega-se num pequeno penhasco para a visualização do banho matinal dos golfinhos. Eram mais de mil no dia, segundo os contadores de golfinhos de uma ONG, ali locada naquele dia. Num bailar hipnotizante, passamos horas acompanhando idas e vindas desses animais maravilhosos.

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

Excelente iniciativa do Governo Federal em proibir embarcações nessa região da ilha e também turistas no mar. O que permite aos golfinhos liberdade e segurança.

Outras praias como Buraco do Leão, da Raquel e Caieira valem a pena. São mais desertas, tranquilas e por isso boas para tirar um cochilo ou namorar à vontade.

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil - Foto: Antonio e André

Fernando de Noronha é um pedaço do paraíso no Brasil – Foto: Antonio e André

Para fechar, e não podíamos esquecer de comentar, a comida. Fernando de Noronha tem um saudável mix de comida brasileira como um todo aliada à culinária pernambucana. Frutas, frutos do mar, cartola e outras gostosuras. Todos os restaurante lotam à noite, têm filas, mas isso faz parte da diversão da ilha. Sempre muito caros, mas não deixam a desejar. O restaurante do Zé Maria e o Varanda são nossas recomendações para a comilança noturna.

A comida de Fernando de Noronha é uma delícia, apesar de cara - Foto: Antonio e André

A comida de Fernando de Noronha é uma delícia, apesar de cara – Foto: Antonio e André

A comida de Fernando de Noronha é uma delícia, apesar de cara - Foto: Antonio e André

A comida de Fernando de Noronha é uma delícia, apesar de cara – Foto: Antonio e André

 

Dicas para visitar Fernando de Noronha

Quando ir: de agosto a fevereiro é melhor, pois é a estação seca. Em agosto rola a festa gay Love Fest.

Voos: Saindo de Recife ou Fortaleza, média de R$ 400 a R$ 1.000.

Taxas de acesso: R$ 65 de acesso ao parque mais R$ 43,60 por dia de estadia. Melhor calcular antes pois é um bom montante.

Onde ficar: Fernando de Noronha tem desde quartos de habitantes locais até pousadas mais sofisticadas e carérrimas. Ficamos na Pousada Mar Aberto. Quarto confortável, café da manhã excelente e um staff ultra friendly que organizava e resolvia todas as nossas necessidades na ilha. Fofos demais, sempre faziam um cisne com toalhas na nossa cama e jogavam pétalas de rosas. Quer algo mais acolhedor? Mas, se quiser buscar outras opções na ilha, veja aqui.

Locomoção: Esqueça sistema de transporte urbano na ilha. São poucos ônibus e não chegam até a boca da praia, ficam apenas na rodovia principal e povoados. O ideal é alugar um buggy, que custa entre R$ 250 a R$ 300 a diária e te permite rodar por toda a ilha sem preocupações.

Restrições: Existem algumas trilhas na ilha que são controladas, por questões ambientais. Por isso, ao chegar, já busque uma bilheteria do Parque e compre os acessos como a Trilha do Atalaia, entre outras.

Onde comer: Todos os lugares que comemos foram ótimos. 5 estrelas para a comida e bebidas do Bar do Meio e Restaurante Varanda.

O Point: Bar do Meio, claro. Bebidinhas, comidinhas, música boa, gente bacana e um sunset de tirar o fôlego. Começa o buxixo lá pelas 16h e rola até ao anoitecer.

Vida gay: Nada específico. É um passeio de casal ou grupo de amigos. A ilha não tem muita gente, e viajar para lá sozinho pode ser furada.

 

>> Acompanhe o Viaja Bi!: Instagram, YouTube, Snap (👻rafaleick 👻viajabi), Facebook e Twitter.

Hospedagem | Seguro Viagem | Câmbio | Aluguel de carro

Compartilhe:
Tags:

Sobre Antonio & André

Antonio & André

Antonio e André são colunistas do Viaja Bi!. Querem conhecer ao menos 100 países. Colecionam imãs de geladeira e pontos em cias. aéreas, dormiram no Saara, em hotel de gelo e em barraca no Monte Roraima. Antonio gosta de grandes cidades e de aventura. André tem o Japão como seu destino preferido. Buscam os melhores shots entre auroras boreais, soukis e Shibuyas ao redor do mundo. Todos os posts do Antonio & André.

  • Instagram
  • Email

Comentar

Use a caixa de comentários para tirar dúvidas, assim você ajuda outros viajantes a lacrar pelo mundo. Sugestões, críticas construtivas e elogios também são bem-vindos. Os campos marcados são obrigatórios.*