7 de agosto de 2016

Amsterdam Gay Pride na visão de um hétero

Amsterdam, a capital liberal da Holanda, tem no começo desse mês muita festa e diversão pro público LGBT. Além da já tradicional Amsterdam Gay Pride, que tem seu ponto alto na Canal Parade, a Parada LGBT em barcos pelos canais até o rio Amstel, em 2016 a festa vai ser parte da EuroPride, que começou no último dia 23/7 e vai até hoje, 7/8.

E pra comemorar a festança, pedi pro Hugo Pereira, um dos héteros por trás do blog Conexão Amsterdam, me dar a visão dele sobre a Amsterdam Gay Pride. E ele abriu o coração pra gente, confere aí.

Amsterdam Gay Pride - Foto: Reprodução / Conexão Amsterdam

Amsterdam Gay Pride – Foto: Reprodução / Conexão Amsterdam

 

Amsterdam Gay Pride na visão de um hétero, por Hugo Pereira

Antes de me fixar residência na Holanda, eu vim visitar o país no verão de 2009. Naquele verão, além de muitas viagens programadas com a minha então namorada (hoje minha esposa),  eu também deveria usar a oportunidade para tentar imaginar como seria a viver entre a holandeses.

Ainda me lembro como se fosse hoje, nos hospedamos  em um apartamento próximo ao super bacana Westerpark. Era o primeiro sábado de agosto, em pleno verão, ensolarado eu abrindo a janela e eu me deparei com uma agitação incomum nos canais em frente ao apartamento. Então eu percebi que todos os barquinhos estavam em clima de preparação para uma festa.

Dava para sentir de alguma forma a “good vibe” que vinha dali… Uma coisa que eu notei, era que a grande maioria dos barcos tinham apenas homens e que todos tinham uma bandeira, a bandeira colorida do movimento LGBT.

Interessante hoje em dia recordar aquela situação; pensar no meu background. Eu vindo de familia cristã, estava prestes a me mudar para Amsterdam, a cidade que todo mundo de fora considera ser super liberal (e na verdade eles não são liberais, mas sim eles respeitam o próximo).

Naquela época vi aqueles barquinhos e pensei.. Eu até respeito a decisão deles mas não vou celebrar esse dia, afinal eu não sou gay.  Foi isso que falei para minha namorada e então não saímos, ficamos curtindo o apartamento.

Hoje, 7 anos depois, ainda lembro desse dia e como as coisas mudaram. E pior ainda, lembro da burrada que fiz de não me juntar a aquela festa. Hoje em dia tudo é mais claro e faz sentido.

Amsterdam Gay Pride - Foto: Conexão Amsterdam

Amsterdam Gay Pride – Foto: Conexão Amsterdam

 

Saindo do armário

A realidade é que desde a minha mudança para a Holanda eu mudei muito. Mudei meu peso 😀, minha maneira de vestir, refeições, me habituei ao clima, mudei meu estilo de cabelo, e também mudei minha maneira de ver as coisas. Lembro que eu nos meus primeiros anos a festa LGBT ainda era um tabu para mim, algo que eu não poderia participar afinal não era uma festa para mim… Não chegava a ser preconceito (ou talvez sim) mas era mais aquela sensação que não era o meu lugar.

Depois de 5 anos, eu decidi festejar como todo mundo, e participar daquela festa que um dia eu apenas olhei através de uma janela. Eu fui, e me diverti bastante.

SOBRE O AUTOR CONVIDADO
Hugo Pereira - Conexão AmsterdamHugo Pereira
Apaixonado por viagens, prefere conhecer 100% de um lugar do que só 1% de 100 lugares. Fascinado pela Holanda, vive cada dia no país como se fosse o último e compartilha esse sentimento com cada viajante. Mora com sua esposa em Amsterdam desde 2010 e escreve o blog Conexão Amsterdam desde 2014. Acompanhe no Facebook e Instagram.

 

Valeu, Hugo! Vale lembrar que o Hugo também tem um ebook sobre Amsterdam. 😉

 

A rota da Parada LGBT de Amsterdam

A Canal Parade, o desfile de barcos que passa pelos canais da cidade, vem de Westerdok (oeste), acontece principalmente no canal Prinsengracht, e segue até o rio Amstel. Alguns barcos são organizados por empresas como Phillips e Shell e corporações como a polícia e os militares, e trazem seus funcionários LGBTs.

Depois da Canal Parade, rolam festas e palcos ao ar livre pela cidade. A Reguliersdwarsstraat, a rua gay de Amsterdam, vira uma festa ao ar livre com shows e DJs e é a favorita de turistas e jovens. Lá também fica a balada NYX.

No centro antigo, Zeedijk, fica um dos bares gays mais antigos do mundo o Café ‘t Mandje, com foco no público mais velho. Em Rembrandtplein, ao redor do rio Amstel, tem shows ao ar livre e música rolando. O mesmo rola num palco em Westerkerk, onde fica também o Homomonument, o monumento em homanegam aos gays e lésbicas que foram perseguidos por sua orientação sexual.

A rua Paardenstraat é a mais escolhida pelas lésbicas e Warmoesstraat pelo público que curte “leather” (couro), com bares de fetiche com dark room!

Amsterdam Gay Pride - Foto: Reprodução / Conexão Amsterdam

Amsterdam Gay Pride – Foto: Reprodução / Conexão Amsterdam

 

>> Acompanhe o Viaja Bi! no Instagram, Snapchat (👻rafaleick e 👻viajabi), Facebook e Twitter (estamos no Reino Unido agora, entenda aqui).

Tem alguma outra dica sobre Amsterdam ou Holanda? Deixe nos comentários pra ajudar outros viajantes!

Hospedagem | Seguro Viagem | Câmbio | Aluguel de carro

Compartilhe:
Tags:

Sobre Rafael Leick

Rafael Leick

Publicitário e blogueiro, foi palestrante em seminários internacionais no Peru, a convite dos órgãos de turismo locais, falando sobre planejamento de comunicação e diversidade, com foco na temática LGBT. Morou em Londres e, aos 31 anos, conhece 23 países. Escreve para o Viaja Bi!, Viagem Primata e ExploraSampa. Todos os posts do Rafael.

  • Website
  • Google+
  • Instagram
  • Email

Comentar

Ut tellus dolor, dapibus eget, elementum vel, cursus eleifend, elit. Aenean auctor wisi et urna. Aliquam erat volutpat. Duis ac turpis. Integer rutrum ante eu lacus. Required fields are marked*