15 de Janeiro de 2018

Piedras Rojas no Atacama fechado por causa de brasileiro

Essa é uma daquelas notícias que te deixam devastados. Piedras Rojas é um dos passeios mais bonitos do Deserto do Atacama, no Chile. Um lugar onde se contempla a quietude, a natureza, o vento, as lagoas, as pedras. Tudo forma um cenário de esplendor e daqueles que dificilmente saem da memória. E hoje eu recebi uma notícia das mais tristes. Foi o acesso à região do Atacama fechado pela comunidade local por conta da irresponsabilidade de um atleta brasileiro. É isso mesmo! Parte do Atacama FECHADO!

Atacama fechado: Atração natural Piedras Rojas, no Atacama, foi fechada por irresponsabilidade de turista brasileiro

Atacama fechado: Atração natural Piedras Rojas, no Atacama, foi fechada por irresponsabilidade de turista brasileiro

O atleta de kitesurf Reno Romeu tem um programa chamado Kite Extremo, no Canal Off. E, nas gravações da próxima temporada, ele resolveu ignorar que as lagoas/salares de Piedras Rojas, administradas pela comunidade indígena da região, fazem parte de uma reserva natural e são um local de contemplação, e praticou kitesurf nelas. Veja o vídeo aqui. Essa região, provenientes, em boa parte, de cinzas vulcânicas, é uma área de descanso e alimentação de flamingos e outras aves.

De acordo com Alejandro Santoro Vargas, diretor do CONAF (Corporación Nacional Forestal) da região de Antofagasta e especialista em áreas protegidas, essa atitude causou uma alteração ambiental mediana que, pelo menos, é reversível. As aves saíram do local, mas podem voltar.

Atacama fechado: Atração natural Piedras Rojas, no Atacama, foi fechada por irresponsabilidade de turista brasileiro

Atacama fechado: Atração natural Piedras Rojas, no Atacama, foi fechada por irresponsabilidade de turista brasileiro

Há indícios de que a produção do programa também levantou voo com drones, o que também não é adequado numa região que justamente é descanso e alimentação de aves. Além de poder machucar algum animal, se o drone cai, pode contaminar o ambiente. Veja que nem estou falando que é “proibido”, porque apesar de achar que é, não tenho certeza. Mas não deixa de ser inadequado.

O atleta publicou em seu Instagram uma nota de esclarecimento, que segue transcrita abaixo:

Nota de Esclarecimento – Kitesurf Deserto de Atacama

Nos últimos dias temos sido apontados como turistas irresponsáveis que criaram impacto sobre a fauna do setor PiedrasRojas das Águas Calientes do Salar de Tara, no deserto de Atacama. Neste sentido cabe esclarecer:

Somos atletas de kitesurf, um esporte limpo que não polui, que utiliza a força do vento e que se desenvolve em diversos lugares do mundo, em especial naqueles onde condições propícias, beleza e natureza se completam, inclusive áreas protegidas onde o uso público é permitido.

Nos últimos anos, o esporte cresce em todo o mundo e, especialmente, vem sendo a força motriz do desenvolvimento local, gerando emprego, oportunidades e renda para comunidades tradicionais, como ocorre no litoral do Brasil.

A prática em Piedras Rojas não foi realizada por turistas irresponsáveis e sim, por kitesurfistas profissionais que por meio de imagens e informação consciente divulgam o esporte e os mais diferentes locais, sua gente e tradições, como já ocorreu nos lagos da Mongólia, nas ilhas caribenhas, no Egito, Marrocos, África do Sul e no polo Norte, entre tantos outros.

Em todos os lugares, inclusive nos salares e lagos no Chile, e por onde velejamos, coletamos lixo e plásticos na água, um dos maiores impactos sobre a fauna aquática em todo o mundo. Já salvamos espécies animais, inclusive pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) que foram cuidados por profissionais e devolvidos aos mares patagônicos, com recursos e custos próprios.

No desenvolvimento de nossas atividades profissionais avaliamos previamente os locais onde as filmagens são realizadas, a presença de animais e plantas, de modo que não sejam importunados e respeitadas todas as regras e legislação locais, o que inclui Unidades de Conservação, santuários, áreas de comunidades tradicionais e povos indígenas, áreas privadas e de segurança.

Piedras Rojas não é uma área protegida pelo CONAF, como relata ao jornal BioBioChile o senhor Alejandro Santoro Vargas, diretor da CONAF da região de Antofagasta e especialista em áreas protegidas. “Alejandro Santoro Vargas, director de la Conaf de la región de Antofagasta, y experto en áreas protegidas, en conversación con BioBioChile se refirió al polémico registro reconociendo que la práctica de dicho turista tiene impacto y genera una alteración mediana en el sistema ambiental, pero reversible -la fauna se va y luego vuelve-, pues dicho salar es zona de descanso y alimentación de flamencos y otras especies, más no zona de nidificación. Sin embargo, el director fue enfático en destacar que el sector no forma parte del área protegida por la Conaf y no se encuentra bajo su administración. Es más, aseguró, el terreno no tiene afectación de manejo, ni de conservación desde el punto de vista jurídico”.

(Alejandro Santoro Vargas, director do Coorporação Florestal Nacional do Chile da região de Antofagasta e especialista em áreas protegidas em conversa com BioBioChile se referiu ao polêmico registro reconhecendo que a prática do turista tem impacto e gera uma alteração mediana no sistema ambiental, porém reversível – a fauna se vai e logo volta, pois o dito salar é uma zona de descanso e alimentação de flamingos e outras espécies, mas não é zona de nidificação. Porém, o diretor foi enfático em destacar que o setor não faz parte da área protegida pelo CONAF e não se encontra sob sua administração. E mais, assegurou, o terreno não tem ação de gestão, nem de conservação do ponto de vista jurídico – Tradução livre). Disponível em http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-antofagasta/2017/12/20/dano-ambiental-indignacion-causo-video-de-turista-practicando-kitesurf-en-salar-de-talar.shtml

Em nenhum momento flamingos ou qualquer outro animal terrestre ou aquático foram perseguidos ou importunados. As Piedras Rojas não foram sequer pisadas pela equipe.

Da mesma forma, cabe deixar bem claro que nas Piedras Rojas e em suas imediações não há qualquer barreira, identificação, placa de informação ou presença de representação da associação de povos indígenas locais ou de qualquer órgão que aponte qualquer impedimento de atividades no local ou que esta seja uma área sagrada. Em outros locais, como o Geiser del Tatio, a presença destas pessoas é efetiva e a gestão admirável.

A restrição de acesso a Piedras Rojas, neste momento, não se deve somente à veiculação de forma distorcida da prática do Kitesurf, mas ao acúmulo de problemas locais como o aumento do turismo de grande escala, que gera lixo, pichações e descarte de dejetos humanos e o avanço das atividades de mineração, entre elas, de lítio. O kitesurf na lâmina da água é de baixo e efêmero impacto.

Desta forma, estamos surpresos com a repercussao especulativa que vem sendo alimentada nas redes sociais, que nao condizem com a veracidade dos fatos e geram o ódio e todos os males da desinformação.

Assim, reiteramos nosso total apoio às comunidades tradicionais e aos povos indígenas de todo o mundo, ao fortalecimento das unidades de conservação, aos projetos de desenvolvimento sustentável e turismo de base comunitária e, neste momento, em especial ao povo atacamenho que luta pela preservação de suas terras e tradições.

Acreditamos que os esportes de aventura, como o kitesurf, possam beneficiar comunidades locais e fortalecer o turismo de qualidade. Respeitamos a natureza, pois dela depende a nossa vida, a nossa forma de viver. Levamos ao público a prática de um esporte saudável e limpo.

A nota foi replicada no Instagram do outro atleta que estava junto, João Daniel Edde e do câmera da produtora Gustavo Bordallo, conhecido por Gustavo Camarão. O Canal Off ainda não se pronunciou oficialmente em suas redes, mas deixou um comentário (!) com seu comunicado oficial (!) que não está em suas redes oficiais (!) nas fotos dos dois últimos, do próprio Reno, além de agências do Atacama que estão defendendo a preservação… Vai entender… Segue abaixo:

@canaloff (em comentário em foto nos perfis @renoromeu, @jdedde e @gustavocamarao79)

O Canal OFF legitima todo movimento a favor da prevenção ambiental. Por isso viemos nos manifestar por meio dessa nota oficial sobre os acontecimentos no deserto do Atacama.

Todas as gravações do Canal OFF, em qualquer lugar do mundo, respeitam as legislações regionais, segurança dos atletas e bem-estar das comunidades locais.

A produção do programa Kite Extremo seguiu todo o protocolo de consulta junto aos órgãos públicos, além de ter procurado também o Serviço Nacional de Turismo, para garantir a prática e o respeito às normas locais de preservação.

Ficamos surpresos com o envolvimento da nossa produção em uma questão local, que surgiu na última semana, uma vez que a gravação do programa Kite Extremo foi realizada em meados de dezembro de 2017.

O canal repudia qualquer ação que possa causar prejuízo à natureza e ressalta que o respeito ao meio ambiente é um dos seus principais valores. Esse mesmo princípio norteia a consciência de nossos parceiros e atletas.

Para mim, essa nota mais reforçou e tentou justificar o erro do que esclareceu alguma coisa. Me parece um manifesto em favor do esporte sendo que as críticas não são ao esporte em si, que inclusive deve ser bem legal de praticar.  Mas se você passa um tempinho, mesmo que pouco, no Atacama, entende que todo o esforço local é feito para que toda e qualquer atração seja protegida, mesmo que não seja pelo CONAF e que o turismo se desenvolva de maneira consciente e sustentável.

Atacama fechado: Na minha última visita ao Deserto do Atacama, em 2015, passei por Piedras Rojas

Atacama fechado: Na minha última visita ao Deserto do Atacama, em 2015, passei por Piedras Rojas

Então justificar a irresponsabilidade com “essa área não é protegida pelo CONAF” e “não tinha placas” me soa desonesto e bastante desrespeitoso com a comunidade local. Da mesma forma me soa arrogante e até pretensiosa a justificativa de que o esporte incentiva o turismo local. Não duvido de maneira alguma que o esporte seja um fator de desenvolvimento turístico. Mas achar que sabe como aquela comunidade, que já tem estabelecido seu modo de desenvolver seu turismo, deve fazer isso, não cai nada bem. O Chile já é conhecido por ser um destino de esportes radicais e há diversos locais pra isso, como a cidade de Iquique, por exemplo. Mas o Atacama não é esse tipo de destino. E basta ficar uns poucos dias lá para entender isso, mesmo que você seja um tapado que não consegue enxergar um palmo na sua frente.

Eu prefiro imaginar que o atleta e a equipe fizeram isso ingenuamente e que chegaram em San Pedro de Atacama num dia, gravaram e se foram, para que a nota de esclarecimento pelo menos faça algum sentido. Até porque realmente pode acontecer de você ser um turista irresponsável sem saber. Eu mesmo, mudaria algumas coisas que já fiz em viagem. Mas se você já foi ao Atacama, também achará difícil acreditar e entende que alguns limites foram passados de longe. A aura do lugar é quase sagrada! Para mim (e para muita gente), um dos destinos mais lindos do mundo.

 

Atacama fechado na região de Piedras Rojas

Independente de o atleta achar que estava salvando o turismo no Chile, o fato é que a comunidade local ficou indignada a ponto de bloquear o acesso à região conhecida como Piedras Rojas. Ou seja, o passeio no Atacama foi FECHADO. E por tempo indeterminado. Se a intenção, pretensiosa ou não, foi desenvolver o turismo local, o tiro saiu pela culatra, pois o que acontece agora é justamente o oposto. Valeu, Reno!

Se você está com viagem marcada ao Atacama, sinto muito, você não poderá ver de perto essa maravilha da natureza atacamenha graças ao programa Kite Extremo, do Canal Off, e do atleta Reno Romeu. A comunidade já estava totalmente instatisfeita com o lixo que muitos turistas deixam. Aí juntou uma pichação que fizeram por lá e essa história do kitesurf… tudo fechado!

Atacama fechado: Atração natural Piedras Rojas, no Atacama, foi fechada por irresponsabilidade de turista brasileiro

Atacama fechado: Atração natural Piedras Rojas, no Atacama, foi fechada por irresponsabilidade de turista brasileiro

E se já é triste saber que existem agências de viagem que não se preocupam com a natureza quando tentam explorar o turismo, é ainda mais triste ver isso sendo feito por um programa no Canal Off que, pra mim, tinha essa preocupação em seu DNA.

 

Turismo Responsável

Peço licença por esse desabafo, mas é revoltante pra quem conhece aquele solo sagrado de perto, ver esse tipo de abuso para ter mais likes e audiência. Eu fiquei sabendo dessa notícia pelo Robson Franzoi, do blog Um Viajante, meu amigo e parceiro na viagem que foi nossa primeira vez no Atacama. E ambos já voltaram pra lá. Então, o sentimento é compartilhado.

Por isso, também compartilho com vocês o vídeo “Passeio no Atacama fechado por atitude de canal brasileiro”, onde ele também expõe seus pensamentos sobre essa situação e fala do resgate de um projeto que ele pensou em começar chamado Viajante Responsável. Deixo aqui, publicamente, meu apoio a esse projeto e minha disponibilidade de ajudar ele a se tornar real.

Fica a dica para que quando viajamos, coloquemos na balança o quanto nossa estada em cada destino afeta o meio ambiente, a sociedade local e afins. Vale a pena ter parte do Atacama fechado? O mundo já não é o mesmo de quando chegamos nele. Quanto somos responsáveis por essa mudança?

 

>> Acompanhe o Viaja Bi!: InstagramYouTubeFacebook e Twitter.

Hospedagem | Seguro Viagem | Câmbio | Aluguel de carro

Compartilhe:
Tags:

Sobre Rafael Leick

Rafael Leick

É o idealizador do Viaja Bi!, Viagem Primata e ExploraSampa e o Diretor de Turismo da Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil. Escreve sobre viagem e turismo desde 2009. Comunicólogo, publicitário, blogueiro e palestrante internacional, morou em Londres e em São Paulo e já conheceu 23 países. É pai do Lupin, o Golden Retriever mais lindo. Todos os posts do Rafael.

  • Website
  • Google+
  • Pinterest
  • Instagram
  • LinkedIn
  • Email

42 Comentários

  • Jeff slaid
    2018-01-15 10:47

    Infelizmente a falta de respeito às áreas/leis não é exclusividade dos brasileiros mas temos fama maior pois não respeitamos as leis brasileiras por aqui, e que dirá no mundo afora.
    A sensação de indignação é maior pois quando se trata de uma situação como essa feita por brasileiro, dá impressão quem fez foi um parente/namorado/amigo meu.
    Achei atitude muito arrogante do Reno e faltou respeito à cultura, natureza local e aos turistas do mundo inteiro.

  • Renata Passos
    2018-01-15 19:51

    Estou sem palavras. Passei uma semana no Atacama e é simplesmente um lugar surreal. Quanto ao ocorrido, para ser elegante, já q o programa é do Canal Off, um gigantesco OFF para esse programa, seus produtores, desenvolvedores e colaboradores. Dando um OFF na imagem do brasileiro no exterior. Como se precisassemos de mais OFFS….
    É apenas um lembrete. Quem está no exterior, invadindo regiões alheias e desconhecidas somos nós. Portanto, para não passar por situações OFF, pesquise MUITO antes, pergunte, tenha certeza do que pode ou não fazer. Regras de etiqueta, costumes locais, etc. Em alguns países, um simples gesto Comun no Brasil é considerado extremamente ofensivo.

  • Inara
    2018-01-16 08:04

    O que este cidadão fez não tem justificativa, mas seria legal ver se Piedra Rojas foi fechado mesmo, pois até semana passada o atrativo estava aberto e recebendo turistas normalmente, inclusive fizemos o passeio, ofertado pelas agências de turismo da região!

    • Rafael Leick
      2018-01-16 08:51

      Oi, Inara. Infelizmente está. E isso aconteceu nesse fim de semana, pelo que parece. Quem está indo essa semana, já não consegue mais fazer o passeio, infelizmente. 🙁

  • Raquel Muniz
    2018-01-16 08:31

    Imagine se todo canal de Tv quiser fazer uma matéria .. … vai ficar tudo certo né?
    Coisa feia , a verdade não tem lado … e a verdade e que foi um vacilo ridículo…

  • Sem recalque
    2018-01-16 09:55

    Cara, vc é uma ##%%#^# !!!

    Já fui para lá e somente praticar o esporte na agua, não iria estragar o ambiente, este esporte é limpo !

    O que me parece é dor de cotovelo “ estão ganhando dinheiro com as belezas naturais do chile e não estão pagando por isso” coisa que aconteceria com alvarás e etc !

    Lixo, desmatamento, caça e etc esses realmente são prejudiciais !!!

    Vira macho cara e para de bla bla bla ….

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:27

      Não consegui entender o seu elogio “##%%#^#”, vira macho não homofóbico e me conta direitinho, você consegue?
      O esporte é limpo, sem dúvidas, mas acho que você não conseguiu ler o texto ou interpretá-lo, não sei. A questão não é sujar o ambiente. É o impacto que o esporte tem no meio ambiente. Dá uma lida no texto que tem inclusive opiniões de especialistas. Digo especialistas de verdade e não de pessoas que acham que entendem, como você e o atleta em questão.
      Não tenho porque ter dor de cotovelo por eles ganharem dinheiro e não pagarem. Não vejo problema em ganhar dinheiro. Vejo problema em desrespeitar o local quando se visita e em vender um discurso de apoio à natureza e achar que é só lixo, desmatamento e caça que “estragam” o ambiente. O problema não foi só cometer o erro lá, mas sim ser avisado e achar que não fez nada de errado. Ou apoiar, dizendo que o atleta não fez nada de errado. Isso, meu amigo, não é ser nada macho. Você e seu atleta do coração (se não são a mesma pessoa) tem muito o que aprender sobre ser macho ou “virar homem”. Porque ser homem é também assumir consequências dos seus atos. E isso, vocês estão mostrando que não sabem como fazer. Procurem ajuda sim, mas não de advogados. Psicólogos talvez deem conta!

  • Karina Sell
    2018-01-16 12:38

    Caraca que absurdo!!!!! O pior foi a nota de esclarecimento ridícula pra mim, exatamente como você falou Rafa, foi mais uma tentativa de justificar o erro do que esclarecimento.

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:34

      E o pior é manterem o discurso mesmo todo mundo mostrando a besteira que estão falando. E outros que apoiam o cara. Mais assustador ainda. É só ler alguns comentários deixados aqui, alguns inclusive com tom homofóbico.

  • Carlos
    2018-01-16 14:22

    Mais mimimi babaca… queria saber que impacto ambiental foi feito aí… e outra, tinha placa avisando ser proibido o uso da lagoa? Acho uma tremenda babaquice esse fundamentalismo natureba… preservar é preciso, sem dúvida mas SEM fundamentalismo.

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:19

      – “queria saber que impacto ambiental foi feito aí”
      – Migo, você chegou a ler o texto ou nem?
      – “tinha placa avisando ser proibido o uso da lagoa?” / “preservar é preciso, sem dúvida”
      – Se você também acha que preservar é preciso, como disse, já responde sobre a placa na lagoa. Se “preservar é preciso, sem dúvida”, não há dúvida de que não se deve usar a lagoa. 😉

  • Gianni Bueno
    2018-01-16 15:10

    “Da mesma forma, cabe deixar bem claro que nas Piedras Rojas e em suas imediações não há qualquer barreira, identificação, placa de informação ou presença de representação da associação de povos indígenas locais ou de qualquer órgão que aponte qualquer impedimento de atividades no local ou que esta seja uma área sagrada. Em outros locais, como o Geiser del Tatio, a presença destas pessoas é efetiva e a gestão admirável.”

    Certo! Só porque na garrafa de Whisky não está escrito “INFLAMÁVEL”, vamos jogar no fogo. Se não explodir foi legal, se explodir, lançamos uma nota bonitinha pra justificar o erro e fica tudo bem!

    TÁSSERTU!

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:35

      Bem isso mesmo! Pensamento muito bem estruturado de quem escreveu a nota. Só que não.

  • lucianosbn
    2018-01-16 17:12

    O que causa maior indignação é a forma como eles (atletas, cinegrafista e o próprio canal) tratam o caso, como se fosse uma bobagem, um errinho qualquer. Estava no local 3 dias antes deles fazerem essa besteira toda e, como você bem disse, não precisa ser nenhum gênio pra saber o que é permitido ou não por lá, da pra saber só de olhar. Além disso, não da pra acreditar que foi sem querer, pois até o presente momento não apresentaram os documentos pelos quais dizem ter obtido a autorização, foram sem o auxílio de nenhuma agência ou guia (que poderia repreende-los), bem como foram num horário que não tinha movimento. Isto por si só já demonstra a má intenção dos envolvidos, o que é lamentável
    Entretanto, há de ressaltar que ainda não houve manifestação de arrependimento por nenhum dos envolvidos, somente justificativas e defesa do esporte.
    Muito se fala do Brasil, mas devo alertar que inclusive no Brasil, caso o dano ambiental fosse comprovado, todos eles seriam responsabilizados, pois a responsabilidade é objetiva, independe de culpa. Sair daqui pra fazer besteira lá é vergonhoso.

  • antoniocabocim
    2018-01-16 17:16

    Fico tentando imaginar a vergonha que os brasileiros estão passando diante da comunidade local e dos outros estrangeiros que também foram prejudicados por esses atos irresponsáveis.

  • aidil jose fernandes
    2018-01-16 18:24

    Não é novidade que brasileiros desrespeitem normas ou leis de outros paises. Daí a bagunça que estamos tendo neste país,

  • Rodrigo
    2018-01-16 20:44

    Assim como o Reno, o canal Off defendeu o esporte e explicou sim, que nada foi feito para regredir o meio ambiente! No meu ver não tem mais oque se explicar… na realidade é muito mimimi, e querendo generalizar as ações de brasileiros irresponsáveis (que tem muitos) fora do país. Péssima matéria querendo apontar o dedo para um cara profissional e um canal de TV voltado 100% para a preservação do meio ambiente.

  • Gustavo Santanna
    2018-01-16 21:20

    Meu amigo, sinto te escrever isso, mas vc escreveu besteira.
    Moro aqui no atacama.
    As Piedras Rojas não foram fechadas por causa dele.
    É claro q a cagada q ele fez ajudou isso ocorrer, mas não foi só esse motivo, afinal o acesso lá foi fechado mais de uma semana depois do acontecimento.
    A gota dágua alegada pro fechamento do local foi uma pichação q aqui no atacama ninguém viu a foto.
    Outro motivo alagado foi o lixo no local, principalmente de papel higiênico do pessoal q utiliza os “baños incas”.
    E obvio tem o interesse da comunidade local de fazer dinheiro ali, obviamente q não pode ser ignorado é fecharam, pra logo reabrir com uma portaria pra cobrança.
    Vc não pode publicar artigos sem checar todas as fontes meu amigo.
    O cara realmente fez merda, mas aí realmente não tem uma placa q indica nada, é uma lagoa no meio do nada, ele foi realmente muito sem noção, mas a princípio ele não violou nenhuma regra do local q estivesse clara.

  • Wilma Soares
    2018-01-16 22:24

    Conheço pessoas que acabaram indo com esse pessoal do Off para o Salar de Uyuni (contrataram a mesma agencia, por coincidencia) e lá na entrada do parque, ou algo assim (nunca fui para lá) os seguranças informaram que eles não poderiam gravar por lá porque não tinham autorização, mas segundo esses meus amigos, mesmo assim eles fizeram várias gravações, mesmo com o aviso de que não estavam autorizados. Enfim, essa notícia de que teriam praticado sem autorização não me surpreende.

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:58

      Que triste ouvir mais essa parte da história que, provavelmente, aconteceu na mesma viagem pra lá.
      🙁
      Se seus amigos tiverem provas ou quiserem se pronunciar, peça pra eles me procurarem, por favor.

  • Edson Rodrigues Miranda
    2018-01-16 22:30

    Gosto muito das suas postagens .Acredito que o Turismo realmente destrói lugares belíssimos e que portanto há que haver ou ser criadas leis de maiores proteções a esses santuários mas na chamada desta notícia há um grave problema de descriminação quanto aos brasileiros pois nomear um turista pela sua nacionalidade é o mesmo que dizer que só por conta de ação desse mal turista outros de sua nacionalidade também são mal turista e não se cura um problema criando outro e que também é tão vergonhoso como o aqui relatado!!!

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:57

      Oi, Edson. Obrigado pelo comentário. Não é o Turismo o responsável pela destruição. É o turismo irresponsável. E não precisa ser assim. O cara não tava nem fazendo turismo. Estava praticando esporte.
      E não há discriminação na chamada não. A notícia é que o passeio foi fechado por conta de um brasileiro. E realmente foi. Infelizmente. É uma característica dele. Se eu tivesse dito que foi fechada por conta de um turista ou de um atleta, você teria a interpretação de que todos os turistas ou atletas são tão irresponsáveis quanto esse que foi? Acredito que não, correto? E não é a mesma coisa que dizer que todos os outros da mesma nacionalidade também o são. Só digo que esse, infelizmente, é. E ele é uma vergonha para o Brasil, no meu ponto de vista.

  • Caio
    2018-01-16 22:50

    Sem noção, isso resume. Qualquer outra laguna que você visita há limitação de onde você pode caminhar e em nenhuma delas é possível chegar perto d’água. Laguna Cejar, Tebinquiche, Miniques e Miscanti são só alguns exemplos. Em Piedras Rojas não há essa limitação, mas qualquer um que tenha a mínima noção já ve claramente que não se deve entrar nessas lagunas sem autorização…

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:52

      Exatamente! É só ficar, um tantinho que seja, no Atacama para entender a lógica daquela natureza.

  • Silvio
    2018-01-16 23:28

    Achei bacana e justificável a atitude do atleta e totalmente irresponsável e autoritária a atitude dos representantes locais de fechar um espaço que e pública, se quer tratar como particular, então fecha com um muro essa porra. E essas palavrinhas dos amantes da narureza que acham louvável a atitude deles vsf… esse e um esporte totalmente ligado a natureza, apoio o cara e o canal off nas suas palavras.

    • Amanda
      2018-01-20 21:46

      Caríssimo procure uma psicóloga, essa agressividade e revolta é sinal de depressão…

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:51

      Oi, Silvio. O atleta praticou esporte num lugar onde não poderia fazer e foi bacana. E quem foi irresponsável foi a comunidade que protege a lagoa? Não entendi sua lógica, pode tentar me explicar melhor, por favor?
      Outra coisa que não entendi é a defesa de que o esporte é ligado à natureza. Sem dúvida ele é, mas de que forma? De uma forma responsável ou de como fizeram?

  • Felipe Pimenta
    2018-01-16 23:32

    Eu não sou de entrar em embates, mas o texto está mal escrito. É uma matéria tendenciosa querendo culpar um brasileiro por um fechamento que foi ocasionado por uma série de turistas, com certeza, de diversas nacionalidades. Sua intenção de gerar um buzz deu certo. Ao mesmo tempo, eu agradeço por saber que esse site e de uma qualidade ruim e não voltarei aqui.

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:47

      Oi, Felipe. Obrigado pela primeira e última visita e pelo comentário. A matéria não é tendenciosa. O fechamento não foi ocasionado por uma série de turistas. Ele foi ocasionado por um atleta, infelizmente brasileiro, que praticou esporte numa lagoa protegida pela comunidade local. Além dele, algum outro turista pichou a natureza. Então a participação dele nesse fechamento é grande, sim! Infelizmente. A intenção não é gerar buzz, não preciso disso. A intenção do texto, se você realmente leu ele inteiro, é abrir nossos olhos para o tipo de turismo que todos nós fazemos, para não cometer os mesmos erros infantis que o atleta cometeu. Se você avaliou o site como ruim por um texto, está fazendo o que me acusou de fazer, julgar o individual em contraponto a um coletivo. Mas você tem o direito de achar a qualidade ruim, mas aconselho ler mais antes de falar. De qualquer forma, obrigado pela visita e pelo comentário. Volte sempre… ou não, vai saber!

  • Plínio Borges
    2018-01-17 01:14

    Lamentável, vergonhoso, esse tipo de atitude degrada ainda mais a imagem do turista brasileiro no exterior.
    Agora o Canal OFF realmente deu um OFF para o Brasil e todos os brasileiros no Chile. O atleta diz que a equipe recolheu todo o lixo por onde eles passaram e talz. Bem, primeiro que eles não fizeram nada demais. Pois recolher o lixo é mais que uma obrigação. e segundo é que o problema em questão não é o lixo, e sim a pertubação de todo Ecossistema em decorrência da prática do esporte no local.

    Sinceramente, o Canal OFF deveria procurar se informar, pesquisar e até mesmo consultar os orgãos locais antes de fazer qualquer filmagem em locais de preservação ambiental.

    Que DEUS ajude que as autoridades Chilenas não fiquem com picuinha com os turistas brasileiros depois desta caca toda.

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:41

      Pois é, eles focam no lixo como se fosse o único culpado e a única interferência indesejada no meio ambiente.

  • Cristian Moreno
    2018-01-17 04:42

    Esses caras são umos cafonas acham q Atacama precisa deles para o desenvolvimento turístico? Ignorantes sem respeito.

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:39

      O Atacama só precisa existir… para qualquer coisa, inclusive o desenvolvimento turístico. Bem o que você disse mesmo.

  • Fefe
    2018-01-17 11:53

    Bolivianos são Hostis,sofri muito quando fui la de moto,eles não são confiáveis , senti na pele quando fui lá ,acrediito no canal de tv sem sombra de dúvidas,tenho certeza que fecharam por outros motivos é querem culpar Brasileiros, principalmente esses povos locais ,sem educação ,folgados e ladrões.Bolivia não é BN I’m lugar confiável..

    • Rafael Leick
      2018-01-17 15:58

      Piedras Rojas fica na região do Atacama, no Chile, não na Bolívia. 😉

  • Rodrigo
    2018-01-17 15:53

    Nãooooooo. Eu já reservei e comprei passagens para agosto no Atacama e estou torcendo para que o passeio seja reaberto até lá.

    Realmente a vida dele devia estar muito corrida para não saber da preservação local e ter agido dessa forma. Além disso, muitos lugares ao redor do mundo não possuem uma proteção ambiental oficial, mas a própria população local é conscientizada e luta para preservar, especialmente em locais ermos. No Brasil isso é raridade.

    • Rafael Leick
      2018-01-26 04:38

      Talvez seja justamente por aqui ser raridade que eles entendam que outras culturas não preservem sua natureza e sua história como o Brasil. Muito triste. E vamos torcer para que o passeio seja reaberto e muitas pessoas possam ver de perto essa beleza, de forma responsável e respeitosa.

  • Alessandro Santos
    2018-01-18 15:48

    Se vocês estão reclamando disto, não imaginam que o Canal Off induz e passa na maior cara de pau, o conteúdo do Skatista Bob Burniquist fez andando de skate num Santuário lá nos EUA.

    Segue o Link http://canaloff.globo.com/skate/materias/bob-burnquist-explora-santuario-em-role-incrivel-de-skate-no-deserto.htm

Comentar

Use a caixa de comentários para tirar dúvidas, assim você ajuda outros viajantes a lacrar pelo mundo. Sugestões, críticas construtivas e elogios também são bem-vindos. Os campos marcados são obrigatórios.*