26 de Abril de 2017

Uruguai LGBT, naturalmente friendly

Para muitos brasileiros, o Uruguai até recentemente era um país que não chamava muita atenção.  Alguns fãs do turismo do frio até visitaram Montevidéu uma vez na vida, ou aspiraram conhecer um dia o destino do jetset sul-americano, Punta del Leste.  Mas nos últimos anos, este pequeno país ao sul, que os gaúchos, como eu, amam como se fosse sua segunda pátria, tem aparecido cada vez mais no mapa dos viajantes internacionais descolados. É o Uruguai LGBT.

Uma das razões, sem dúvida, foi a popularidade do Pepe Mujica, o único presidente sul-americano com status de cantor pop. Quem não ama? Com sua simplicidade, falta de ganância e honestidade, Pepe conquistou a todos nós. Ele também deixou um legado estupendo em termos de avanços de direitos LGBT: aprovando o casamento igualitário e a adoção por casais LGBT e avançando nos direitos de transgêneros numa tacada só. Sem falar na descriminalização da maconha, que colocou o Uruguai no ranking dos países com legislação mais liberais do mundo. Ele também ganhou o título de país mais LGBT-friendly da América Latina em 2016.  Um fato incrível para um país de menos de 3,5 milhões de pessoas. Ou seja, mais ou menos do tamanho do público da Parada de São Paulo no seu auge.

Uruguai LGBT: Além de Montevidéu

Uruguai LGBT: Além de Montevidéu

A partir destes avanços na legislação, os uruguaios começaram a se promover com bastante eficiência como “Uruguay friendly“, tanto pelo Ministério do Turismo deles como pela  Câmara de Comércio LGBT do Uruguai, uma associação de empresários LGBT que já conta com várias empresas.

Mas o que tem este país simpático de atrações para o turista LGBT ou aliado? Eu, que já havia estado em Montevidéu várias vezes no passado, estive lá nos dois últimos anos  a convite da Câmara e fiquei impressionada com a diversidade de opções e com a energia positiva que estas mudanças recentes trouxeram ao país.

 

Montevidéu, a capital do Uruguai LGBT

Começando pela capital, que é porta de entrada da maioria dos visitantes, o apelo é o turismo cultural e gastronômico.  A Ciudad Vieja, o centro histórico, que já foi uma cidade espanhola cercada por muros em tempos coloniais, é super pitoresca com uma arquitetura histórica que está sendo restaurada aos poucos aos seus tempos de glória. Nesta região você vai encontrar muitos cafés tradicionalíssimos, como o turístico Café Brasilero que era o favorito do escritor Eduardo Galeano, e o Bacacay, em frente ao Teatro Solis (vale muito a pena conferir a programação), que atrai um público de teatro e BEM amigável. No centro histórico também está o ultra turístico Mercado del Puerto.

Uruguai LGBT: Palacio Salvo, na Plaza Independencia

Uruguai LGBT: Palacio Salvo, na Plaza Independencia

Uruguai LGBT: Café Brasilero, um dos pontos turístico da cidade

Uruguai LGBT: Café Brasilero, um dos pontos turístico da cidade

Apesar de já não ter a qualidade que tinha, ainda é um must-go para os carnívoros atrás do asado, o famoso churrasco uruguaio. Mas se ficar pelo centro antigo, não deixe de experimentar os pequenos empreendimentos de jovens chefs locais que servem comida de alta qualidade com menus fixos no almoço e preços razoáveis no jantar em bistrôs super charmosos como o LuccaJacinto ou o Sin Pretensiones, um misto de brechó e bistrô.

Imperdível para os que amam arquitetura é fazer um tour das dezenas de prédios em estilo Art Decó, uma das maiores coleções do mundo.

Uruguai LGBT: Tour por prédios art deco

Uruguai LGBT: Tour por prédios art deco

Para design mais contemporâneo e gastronomia típica, visite o recém-restaurado Mercado Agrícola.

Em termos de entretenimento LGBT, comparado com as grandes cidades brasileiras, a oferta ainda é pequena, mas há opções. Uma dica é consultar o premiado aplicativo GPS Gay criado por um casal de lésbicas locais, com versão em português, que além de ajudar a conectar com os chicos (e chicas!), tem dicas de festas, bares e boates LGBT ou LGBT-friendly.

Uruguai LGBT: Mercado Agrícola, em Montevidéu

Uruguai LGBT: Mercado Agrícola, em Montevidéu

 

Uruguai LGBT além da capital

Depois de Montevidéu, eu sugiro alugar um carro e fazer uma road trip pela costa das províncias de Maldonado e Rocha. A costa uruguaia é lindíssima. Não pense em praia tropical, ou nas águas quentes do Caribe, mas numa costa quase que totalmente deserta, com uma combinação de campos, dunas e florestas de pinheiros. Rústica e selvagem. Mas esta rusticidade é quebrada por pequenos vilarejos com pousadas e restaurantes charmosos, se tornando irresistível para quem gosta de natureza, mas aprecia também um turismo gourmet.

Para os mais urbanos, a primeira parada é Punta del Leste, conhecidíssima por ser o destino dos ricos e famosos latino-americanos. Eu, pessoalmente, gosto mais da igualmente exclusiva, mas menos ostentosa, José Ignácio. Hospede-se no La Viuda, um hotel boutique de um casal gay argentino que fica há poucos quilômetros do centro do vilarejo. Com arquitetura moderna típica da região e um décor de interiores divino, é uma ótima base para conhecer a região. O que não dá para perder é o almoço do La Huella, um restaurante de frutos do mar fantástico pertinho do Farol de José Ignácio.

Uruguai LGBT: Descanso no La Viuda de José Ignácio

Uruguai LGBT: Descanso no La Viuda de José Ignácio

Uruguai LGBT: La Huella

Uruguai LGBT: La Huella

Para quem é aventureiro mesmo, o destino dos alternativos é Cabo Polônio, um pouco mais ao norte.  Sem carros e com eletricidade apenas por geradores, a luz é desligada cedo e a vila é iluminada apenas pelo seu famoso farol. Artesanato e reggae reinam aqui. Roots total.

Continuando para o norte na costa de Rocha vale ainda a pena conhecer Punta del Diablo, com sua arquitetura quase escandinava, e o Parque Nacional de Santa Teresa, próximo à fronteira com o Brasil, para mais praias desertas de beleza imensa.

Uruguai LGBT: Degustando azeite de oliva

Uruguai LGBT: Degustando azeite de oliva

Como a costa é pertinho do campo, as opções de passeios incluem visitas a vinícolas e fazendas de oliveiras (o azeite uruguaio está despontado como um dos melhores do mundo). Se estiver em lua-de-mel ou comemorando uma data especial, faça uma viagem ao pueblito de El Garzón (população de menos de 200 pessoas) para comer no restaurante do chef argentino Francis Mallmann. Conselho: reserve com antecedência, leve o cartão de crédito (estrangeiros tem desconto de até 25% usando o cartão) e vá sem pressa. Simplesmente maravilhoso.

Uruguai LGBT: Restaurante El Garzón

Uruguai LGBT: Restaurante El Garzón

Se você for do tipo que gosta de cidades históricas, não perca Colônia de Sacramento, uma cidadezinha colonial portuguesa encrustada em território hispânico, que é considerada patrimônio da humanidade pela UNESCO. É pequena o suficiente para conhecer em um dia, mas vale a pena ficar uma noite, principalmente para visitar as muitas vinícolas da província de Canelones, no caminho. De lá, dá para cruzar de barco rápido – em menos de duas horas – para a super gay Buenos Aires, para uma mudança radical de vibe. Mas daí já é outra viagem.

 

>> Acompanhe o Viaja Bi!: Instagram, YouTubeFacebook e Twitter.

Hospedagem | Seguro Viagem | Câmbio | Aluguel de carro

Compartilhe:
Tags:

Sobre Marta Dalla Chiesa

Marta Dalla Chiesa

Marta Dalla Chiesa é colunista do Viaja Bi!. Por ser uma lésbica apaixonada por turismo outdoor, criou a Brazil Ecojourneys e foi presidente da ABRAT GLS, associação de turismo LGBT. É PhD em biologia bioquímica e molecular no Imperial College London, mas trabalha com turismo desde o ano 2000. Mora em Florianópolis e é idealizadora do evento Gay Surf Brazil, evento na Praia do Rosa. Todos os posts da Marta.

  • Website
  • Instagram
  • Email

7 Comentários

  • Jayme
    2017-07-15 23:36

    Hmmmm!!!

    Me deu água na boca, estive uma vez no Uruguai por 4 dias e voltei com gosto de quero mais, esse post me deu muita vontade de voltar, só fico me perguntando se não é uma viagem para ser realizada a dois, já que este ano pretendo viajar sozinho meio que num esquema de auto-conhecimento….

    • Rafael Leick
      2017-07-17 12:21

      Oi, Jayme!
      É sensacional, né? Esse relato da Marta realmente deixa com vontade de conhecer mais. Eu encararia super essa viagem sozinho. Aliás, qualquer viagem é passível de se fazer sozinho nessa busca de autoconhecimento.
      Mas vou pedir pra ela passar aqui e responder sua dúvida também =)
      Bjs

    • MARTA DALLA CHIESA
      2017-07-17 12:31

      Oi Jayme

      Se é uma viagem introspectiva, acho que o Uruguai combina muito. Para mim, pelo menos, são cenários que levam a momentos de reflexão, com aquela paisagem infinita de campos e praias quase selvagens. E a parte cultural de Montevideo com certeza vai ser curtida sozinho ou acompanhado. Boa viagem!

  • Jayme
    2017-07-17 22:48

    Marta e Rafa,

    Obrigado!!! Com certeza já está entre minhas opções para as próximas férias, agora em outubro!

    Beijos!

    • Rafael Leick
      2017-07-21 01:02

      Oba! Se for mesmo pra lá, passe aqui depois pra contar como foi, ok? bjs

  • Allan
    2017-09-27 12:53

    Amando o site e dicas de vocês. 🙂

Comentar

Use a caixa de comentários para tirar dúvidas, assim você ajuda outros viajantes a lacrar pelo mundo. Sugestões, críticas construtivas e elogios também são bem-vindos. Os campos marcados são obrigatórios.*