23 de outubro de 2017

Como chegar a Machu Picchu pela Hidrelétrica

Olá, bis aventureirxs! Viajei recentemente por 28 dias no melhor estilo mochilão e o roteiro da viagem é considerado um destino clássico por 10 entre 10 mochileiros e viajantes do mundo inteiro: Bolívia, Chile e Peru, incluindo a descoberta de como chegar a Machu Picchu. Como dizia o poeta Mário Quintana “Viajar é trocar a roupa da alma” e eu só falava várias vezes “PQP! Caralho! Não acredito que estou aqui!” em todos os momentos da minha viagem. Perdoem o meu palavreado, mas a empolgação é bem isso aê! 😛

Exige certa dose de coragem e fôlego vivenciar as culturas de cada país e nos entregar a uma viagem repleta de aventuras inesquecíveis e lugares exóticos, capazes de fazer azamigas morrerem de inveja com cada foto!

No Salar de Uyuni, na Bolívia, e no Valle de la Muerte, no Deserto do Atacama, Chile - Foto: Jeff Slaid

No Salar de Uyuni, na Bolívia, e no Valle de la Muerte, no Deserto do Atacama, Chile – Foto: Jeff Slaid

Mas bi, cá entre nós, de todos os lugares incríveis que conheci durante o meu mochilão, a cereja do bolo
para mim, foi Machu Picchu! E não é por menos. A cidade perdida dos incas é considerada um dos 25 destinos mais procurado do mundo no TripAdvisor!

Como chegar a Machu Picchu: A majestosa Machu Picchu vista de cima - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: A majestosa Machu Picchu vista de cima – Foto: Jeff Slaid

E chegar até lá não foi moleza e irei contar um pouco desse perrengue dessa aventura. Com vocês, a minha
experiência de conhecer uma das sete maravilhas do mundo!

 

Como chegar a Machu Picchu

Em direção à Cidade Perdida dos Incas, a aventura começa em Cusco, Peru.

Primeiro, começamos a procurar pela cidade uma agência de viagem/tours para comprar um pacote que
incluísse transporte, almoço, hospedagem, jantar e ingresso para Machu Picchu. Fechamos com a agência Inka TC por USD 90 (porque chorei, antes iria me cobrar USD 100). O pacote começa em Cusco, com o transporte até Santa Teresa, almoço e depois continua até a Hidrelétrica. O hostel em Águas Calientes foi pago já na agência, assim como guia, café da manhã (eles dão um pacote de lanche pra você, caso opte ir pela trilha bem cedo) e a volta da van para Cusco.

Como chegar a Machu Picchu: o passeio começa em Cusco, capital do Império Inca - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: o passeio começa em Cusco, capital do Império Inca – Foto: Jeff Slaid

Com os detalhes acertados, fomos buscados no dia seguinte, no Hostel Loki, em Cusco, bem cedo, às 8h com destino à Hidrelétrica, uma viagem sinuosa e cansativa por 7 horas, incluindo uma parada para almoço em Santa Teresa.

Finalmente, chegamos a Hidrelétrica, e a partir dali, não há mais estradas para qualquer carro seguir até Águas Calientes, a última parada antes de chegar à Machu Picchu, então temos que caminhar pela linha do trem por aproximadamente 13km em uma estrada cheia de pedras soltas, fazendo a caminhada ficar mais cansativa do que imaginava. Depende do seu ritmo mas o trajeto leva, em média, de 2h a 3h. Pernas para que te quero!!!

Como chegar a Machu Picchu: a linha de trem até Águas Calientes / Machu Picchu Pueblo - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: a linha de trem até Águas Calientes / Machu Picchu Pueblo – Foto: Jeff Slaid

A partir da Hidrelétrica, é possível pegar um trem e a viagem dura aproximadamente 30min.

Apesar da comodidade e facilidade, é considerado o trecho de trem mais caro do mundo (uns USD 50).

Como chegar a Machu Picchu: a linha de trem até Águas Calientes / Machu Picchu Pueblo - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: a linha de trem até Águas Calientes / Machu Picchu Pueblo – Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: fim da linha? - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: fim da linha? – Foto: Jeff Slaid

Depois de 2h30 de caminhada, chegamos à Machu Picchu Pueblo, que é um povoado também conhecido como Águas Calientes. É a parada obrigatória para descansar antes de seguir até a montanha sagrada dos Incas.

 

Águas Calientes / Machu Picchu Pueblo

Após o merecido descanso da caminhada do dia anterior, chegou o grande dia! Programamos de nos encontrarmos com o grupo do tour às 4h da manhã para encarar a trilha até ao portão de Machu Picchu, que abre às 6h.

Como chegar a Machu Picchu: a caminho da trilha, uma pausa para fotos - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: a caminho da trilha, uma pausa para fotos – Foto: Jeff Slaid

Existem 2 maneiras de chegar a Machu Picchu a partir de Águas Calientes:

– Ônibus: Opção menos cansativa para viajantes que querem conforto, dura aproximadamente 20min e custa US$ 12 cada trecho.

– Trilha: Opção que exige muito dos viajantes, que enfrentarão uma caminhada “vertical” de aproximadamente 1.700 degraus, segundo o guia, e, dependendo do seu condicionamento físico, pode durar de 1h30 a 2h de subida!

Ainda no escuro da noite e com frio de fazer trincar os dentes, começamos a subir a trilha em forma zigue-zague com escadas íngremes e de vários tamanhos, bem irregulares, até a chegada ao portão de Machu Picchu.

Praça Machu Picchu / Sinta o drama das escadas da trilha O.o - Foto: Jeff Slaid

Praça Machu Picchu / Sinta o drama das escadas da trilha O.o – Foto: Jeff Slaid

Durante a subida, vinha um pensamento constante à minha mente: “qual foi a promessa que fiz para subir essas escadas?”. É sério! Como ficava morto de cansaço e com falta de ar devido à altitude! É muito puxado o trekking e cheguei até a tirar as roupas de frio por conta do calor da subida, apesar das baixas temperaturas. Aos poucos, o dia vai amanhecendo e a montanha começa a revelar as suas formas e a sua grandiosidade e com isso renovava a disposição!

Como chegar a Machu Picchu: amanhecer na montanha - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: amanhecer na montanha – Foto: Jeff Slaid

 

Machu Picchu

O portão da entrada de Machu Picchu se abre às 6h e, assim que chegamos, somos abordados por vários guias que oferece seus serviços com idioma em inglês e espanhol gratuitamente. O acesso ao parque é um pouco lento devido à demanda de pessoas, mas logo depois será dissolvido para curtir o passeio tranquilamente sem muita gente por perto.

Como chegar a Machu Picchu: portão de acesso a Machu Picchu - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: portão de acesso a Machu Picchu – Foto: Jeff Slaid

E aqui te passo uma dica de ouro, ou melhor, um conselho: por ora, esqueça as fotos! É sério! Entendo que vai ter aquela tentação de fugir do grupo para aproveitar melhores lugares para tirar as fotos sem aquela muvuca de gente, mas reforço: fique com o seu guia e escute, absorva as histórias que emanam do lugar para sentir toda a energia e a importância de Machu Picchu. É uma viagem no tempo!

Como chegar a Machu Picchu: o guia local - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: o guia local – Foto: Jeff Slaid

O guia te guiará pelo parque por aproximadamente 2h e depois você terá muito tempo para explorar os lugares para fotografar, pois a cidade é imensa!

Ali, tive um dos melhores nasceres do Sol que vi em toda a minha vida. O Sol nascendo no topo da montanha! Fico arrepiado só de lembrar! 💚

Como chegar a Machu Picchu: o sol nascendo na cidade perdida dos Incas - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: o sol nascendo na cidade perdida dos Incas – Foto: Jeff Slaid

E depois de conhecer melhor a história de Machu Picchu, somos liberados pelo guia e podemos andar à vontade pela Cidade dos Incas e cada canto pede um close para arrasar nas redes sociais com suas fotos!

Como chegar a Machu Picchu: posando de galã na cidade perdida dos Incas - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: posando de galã na cidade perdida dos Incas – Foto: Jeff Slaid

É difícil descrever, não é apenas um lugar para ser visitado. O lugar faz com que você seja desafiado, seja na questão física ou psicológica. É cansativo, para não dizer exaustivo, mas tudo isso realmente vale à pena.

Fui abençoado pelos Deuses Incas com o sol iluminando a cidade sagrada!

Como chegar a Machu Picchu: posando de galã na cidade perdida dos Incas - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: posando de galã na cidade perdida dos Incas – Foto: Jeff Slaid

 

Dicas importantes para curtir Machu Picchu

– Ainda em Cusco, vá e visite várias agências que oferecem o pacote/tour, pesquise e barganhe, chore por um desconto;

– Existem várias opções de “como chegar a Machu Picchu“: trem saindo de Cusco, de van (foi a que escolhi) e com trekking, alguns de 3 a 5 dias, como a Trilha Inca, por exemplo (leia mais no Viagem Primata);

– Em Águas Calientes, caso opte por subir de ônibus até Machu Picchu, vá bem cedo para a fila. Quando fui para encontrar com o pessoal, observei que já tinha fila desde às 4h e o ônibus sai a partir de 5h, 5h30;

– Na saída do parque, procure uma barraquinha próxima às lojas de souvenir que oferecem carimbo com o desenho de Machu Picchu para o seu passaporte;

 Machu Picchu fica a aproximadamente 2.400 metros do nível do mar. Em grandes altitudes, é comum sentir alguma tontura, mal estar ou falta de ar. Isso é conhecido como soroche (mal de altitude ou mal da montanha). Vá com calma, respeite o seu limite;

– Parece óbvio, mas não custa reforçar: leve protetor solar e repelente;

– Use roupas confortáveis e leve um casaco extra na mochila, pode esfriar bastante caso a montanha estiver nublada;

– Leve lanches para você beliscar e matar a sua fome. Apesar de ter restaurantes e lanchonetes nas proximidades do parque, os preços são bem $algado$$$.

Como chegar a Machu Picchu: entre as paredes da cidade perdida dos Incas - Foto: Jeff Slaid

Como chegar a Machu Picchu: entre as paredes da cidade perdida dos Incas – Foto: Jeff Slaid

 

>> Acompanhe o Viaja Bi!: InstagramYouTubeFacebook e Twitter.

Hospedagem | Seguro Viagem | Câmbio | Aluguel de carro

Compartilhe:
Tags:

Sobre Jeff Slaid

Jeff Slaid

Jeff Slaid é colunista do Viaja Bi!. Carioca, passou dos 30 anos, é Analista de Recursos Humanos por profissão e apaixonado por descobrir novos lugares e pessoas. Amante de trilhas e esportes radicais, tem o desejo de sempre explorar novas aventuras e compartilhar suas experiências. Todos os posts do Jeff.

  • Instagram
  • Email

Comentar

Use a caixa de comentários para tirar dúvidas, assim você ajuda outros viajantes a lacrar pelo mundo. Sugestões, críticas construtivas e elogios também são bem-vindos. Os campos marcados são obrigatórios.*