22 de junho de 2017

Parada LGBT São Paulo 2017: a maior “Parada Gay” do mundo

São Paulo entrou em festa no último domingo. A Avenida Paulista, principal via da cidade, se pintou com as cores do arco-íris pra receber a 21ª Parada LGBT São Paulo 2017. Ela é conhecida por vários nomes diferentes, como Parada Gay, Parada do Orgulho e Parada LGBT, mas o nome real/oficial é Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Ufa! 🙂

Multidão de cerca de 3 milhões de pessoas ocupa a Av. Paulista durante a Parada LGBT São Paulo 2017

Multidão de cerca de 3 milhões de pessoas ocupa a Av. Paulista durante a Parada LGBT São Paulo 2017

Em 2011, batemos o recorde de 3 milhões de pessoas e as estimativas desse ano alcançaram a mesma marca, depois de alguns anos de queda. E, depois de um happy hour babadeiro na Castro Burger, eu fui pra Paulista ver de perto, mais uma vez, a maior celebração do Orgulho LGBT no mundo! Dê um close também nas coberturas do Viaja Bi! do evento em 2016 e 2015! E tem também os vídeos de 2016 e 2015.

De manhã, fui ao Novotel Jaraguá, onde dormi de domingo pra segunda, pra deixar minhas coisas (vai ter review sim). E chegando lá, me dei conta de que perdi meu celular logo antes da cobertura da Parada LGBT São Paulo! E me deu um pânico louco. Ele tinha caído no táxi, mas depois da ajuda do pessoal do hotel e do atendimento da 99, consegui contato com o motorista e ele voltou pra me trazer! Ufa! #AiQueSusto

Fachada do hotel ibis budget Paulista, na Rua da Consolação, enfeitada para a Parada LGBT São Paulo

Fachada do hotel ibis budget Paulista, na Rua da Consolação, enfeitada para a Parada LGBT São Paulo

Saindo de lá, a convite da AccorHotels, uma das apoiadoras do evento desse ano, fui conhecer algumas unidades deles que ficam na rota da Parada LGBT São Paulo e que fazem parte dos inúmeros hotéis da rede que se associaram à IGLTA no Brasil recentemente. A Accor também foi a primeira empresa hoteleira e a primeira de turismo a assinar a Carta de Adesão do Fórum de Empresas e Direitos LGBT, prometendo honrar os 10 compromissos propostos.

Vários hotéis da rede ofereceram tarifas especiais para o feriadão. Antes disso, no dia 17 de maio, Dia Internacional da Luta contra a Homofobia, eles fizeram um evento interno de conscientização sobre diversidade, me chamaram, eu fui e foi bafo! Só digo que me emocionei. Então, como não aceitar esse convite deles?

🏨Hotéis gay-friendly em São Paulo

Primeiro, passei no ibis São Paulo Paulista, vi que eles tinham toda uma decoração temática pra Parada LGBT São Paulo e um mural para fotos, que foi usado nos esquentas que rolaram lá durante a semana passada. Os hóspedes ainda puderam ver o evento de camarote, pois o bar do lobby tem um lounge com vista pra Avenida Paulista. Lacre!

A Parada LGBT São Paulo vista do topo do hotel ibis Paulista e eu tirei a foto, me achou?

A Parada LGBT São Paulo vista do topo do hotel ibis Paulista e eu tirei a foto, me achou?

Depois passei no ibis budget São Paulo Paulista, vizinho, que fica na Consolação. Além da decoração, eles ainda estavam com uma drag babadeira, Dianne Vogue, que me mostrou as dependências do hotel. E finalizei minhas visitas no ibis budget SP Frei Caneca (já tem review), que fica na rua Frei Caneca, conhecida popularmente como Gay Caneca. E eles tinham um mural do amor, com mensagens românticas de todxs xs tipos de casais e na noite anterior ainda rolou um esquenta com outra drag, Tiffany Bradshaw.

Hotel ibis budget Frei Caneca ao fundo e balada A Lôca colorida na frente

Hotel ibis budget Frei Caneca ao fundo e balada A Lôca colorida na frente

Aí corri pra perto do MASP porque a Parada LGBT São Paulo 2017 tava começando, meu bem!

 

Como foi a Parada LGBT São Paulo 2017

A concentração, como sempre, ocorreu em frente ao MASP e o primeiro trio trouxe as primeiras vozes antes da festa. A madrinha da Parada, a apresentadora Fernanda Lima, defendeu o direito de cada um ser o que é logo depois de a drag Tchaka abrir oficialmente a Parada! Ambas falaram sobre o tema desse ano: “Independente de nossas crenças, nenhuma religião é Lei! Todas e todos por um Estado Laico”.

Fernanda Lima, madrinha da Parada LGBT São Paulo, abriu o evento junto com a drag Tchaka

Fernanda Lima, madrinha da Parada LGBT São Paulo, abriu o evento junto com a drag Tchaka

É importante também ressaltar que além dos patrocinadores master, Uber e Skol, e do patrocinador Doritos, também apoiaram a Parada desse ano Microsoft, Skkoka e a rede AccorHotels, além do apoio institucional do Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura de São Paulo. A 99 entregou bandeirinhas do arco-íris com seu logo, a Absolut fez propaganda nos relógios de rua e distribuiu bexigas coloridas escrito “Pride”.

Os carros da Parada LGBT São Paulo vieram bem coloridos em 2017

Os carros da Parada LGBT São Paulo vieram bem coloridos em 2017

Foram, ao todo, 19 trios elétricos espalhando diversidade até na música. Rolou eletrônico, muito pop, funk (pra rebolar a bunda até o chão), axé e até sertanejo. A música “Eu Sou Filho do Arco-Íris”, composta por Nizan Guanaes e cantada por ídolos LGBT como Sandy, Preta Gil, Daniela Mercury, Fafá de Belém, Pabllo Vittar, Paulo Miklos, Glória Groove, entre tantos outros e que foi publiquei no Facebook recentemente, tocou em vários momentos, em trios diferentes.

As divas Daniela Mercury e Paulette Pink no trio da Skol na Parada LGBT São Paulo 2017

As divas Daniela Mercury e Paulette Pink no trio da Skol na Parada LGBT São Paulo 2017

Daniela Mercury brilhou muito no trio da Skol e eu cheguei bem pertinho da baiana, que dividiu os microfones com a drag Paullete Pink. A Skol, aliás, me mandou de presente uma caixa com duas latinhas tematizadas com o arco-íris, que estavam presentes na festa. Eu amei!!! Elas foram criadas especialmente para o evento, com parte do valor das vendas revertido à Casa 1, projeto maravilhoso do Iran Giusti, de acolhimento de jovens LGBT expulsos de casa (saiba mais aqui e acompanhe aqui).

A Skol Beats também me convidou para experimentar em primeira mão na quinta-feira antes da Parada na Yatch Club e na sexta no Milkshake Festival, o drink Skol Beats Frozen Rainbow, um drink com 6 camadas, cada uma de uma cor da bandeira LGBT. Já que é pra tombar, tombou!

Youtuber Rafael Supernok em cima do trio na Parada LGBT São Paulo 2017

Youtuber Rafael Supernok em cima do trio na Parada LGBT São Paulo 2017

Também ganhei presente da Doritos, com uma camiseta, bandeira e dois salgadinhos Doritos Rainbow, que também foram distribuídos durante a concentração. Fiquei mais colorido por dentro ao comer Doritos e beber Skol. Aloooka! 😛

Anitta deu as caras para uma palhinha no trio de outro patrocinador da Parada LGBT São Paulo 2017, a Uber. Esse trio foi animado pela festa Chá da Alice, que além de homenagear nossa diva brazuca internacional, trouxe ainda Pabllo VitarNaiara Azevedo cantando os 50 reais que ela deu pro boy no motel.

Jogadores bafo do time de futebol gay BeesCats

Jogadores bafo do time de futebol gay BeesCats

Teve muito amor, beijo na boca e diversão! Claro que, como todo evento grande, tem alguns incidentes, mas a Polícia Militar de SP registrou somente 14 ocorrências nas delegacias da região. Falando em policiamento, 1.135 policiais militares foram deslocados para a Parada e contou com o auxílio de 246 viaturas, um helicóptero e 12 cavalos.

Mas, sinceramente, de todas as horas que fiquei no evento (das 10h às 20h), vi pouquíssimo policiamento. São pouco mais de 1.000 policiais para cerca de 3 milhões de pessoas. Será que eu que tô enxergando errado? Sorte que a energia na Avenida tava focada no amor mesmo!

A Parada desse ano contou com performances e artes circenses

A Parada desse ano contou com performances e artes circenses

No amor e na arte. Várias intervenções artísticas foram programadas pelo novo diretor artístico Heitor Werneck para a Parada, como artistas em perna de pau e em “bonecos de Olinda” interagindo com o público e um guindaste no cruzamento da Rua Bela Cintra levantando um tecido e acrobatas. Como parte da ação Conexão Segura, do Ministério da Saúde, personagens vestidos de camisinha também procuravam incentivar o galerê a se proteger, interagindo com o público, brincando e provocando encontros, formando casais, dançando e entrevistando os participantes para saber se estão se protegendo adequadamente.

A Parada LGBT começa na Av. Paulista e desce a Rua da Consolação, representada na foto

A Parada LGBT começa na Av. Paulista e desce a Rua da Consolação, representada na foto

A rota da Parada LGBT São Paulo foi a mesma de todos os anos (e aplicada com arco-íris no Google Maps, by the way), começando no MASP, seguindo na Avenida Paulista sentido Consolação, descendo toda a Rua da Consolação sentido Centro e dispersando em frente à Praça Franklin Roosevelt, de onde boa parte das pessoas seguiram a pé para o Vale do Anhangabaú, onde foi montado o palco do Show de Encerramento.

Esses foram os trios que fizeram o desfile:

1- Abertura: Tema 2017
2- Famílias LGBT/Mães pela Diversidade
3- Prefeitura I
4- Prefeitura II
5- Prefeitura III
6- Prefeitura IV
7- Comerciários
8- Skol
9- Lésbicas e Mulheres Bi
10- Gays e Homens Bi
11- Segmento TT
12- Coletivos LGBT APEOESP/CUT
13- Juventude
14- Saúde HIV/Aids
15- Governo SP
16- Divina Divas
17- Artistas da Noite LGBT
18- Uber
19- Paz

Clovis, nosso colunista, arrasando na Parada com o marido

Clovis, nosso colunista, arrasando na Parada com o marido

Os trios estavam lindos e bem coloridos! Encontrei com muita gente querida e de quem gosto muito por lá. O meu amigo fofíssimo Clovis, nosso colunista aqui no Viaja Bi!, estava lacrando descamisado com o boy dele em um dos trios (contei, Clovis, sorry! rs) e outro fofíssimo Rafael Bolacha me entrevistou para o canal Chá dos 5.

Rafa Bolacha me entrevistando pro canal Chá dos 5 - Imagens: Rafa Petri

Rafa Bolacha me entrevistando pro canal Chá dos 5 – Imagens: Rafa Petri

Já é a terceira vez que vou dar as caras por lá, veja aqui e aqui! 🙂

Encontrei com o ex-casal, agora trisal, do Sensualise Moi e a nova moda LGBT, os times de futebol gays, estavam pelos trios também, de uniforme… Vai vendo eu tentando fazer cara de paisagem!

Sensualise Moi: o casal que virou trisal que você respeita

Sensualise Moi: o casal que virou trisal que você respeita

Eu passei por quase todos! Só não subi no do Uber (não deixaram imprensa subir… poxa, Uber!) e no do Governo de SP e do filme Divinas Divas, porque dei novamente um pulo no ibis São Paulo Paulista, já que eles tinham me prometido me levar pros últimos andares do hotel pra que eu pudesse tirar fotos do alto pra vocês. Os corredores de todos os andares tem um janelão com vista pra Paulista e vi hóspedes curtindo a festa de lá.

Mas eu queria mais. Me levaram, então pra Casa de Máquinas e da cúpula de vidro do hotel, tive uma vista ainda melhor. Louco que sou, ainda fui além e subi no telhado dessa cúpula. Vivendo perigosamente… Mas tirei essa foto fod@ pra vocês. Conseguem me achar nela?

Tô na foto. Consegue achar onde? Um reflexo da Parada LGBT de São Paulo que tomou conta da Avenida Paulista hoje. #viajabi #ParadaLGBT

Uma publicação compartilhada por Viaja Bi! por Rafael Leick 🌈 (@viajabi) em

Depois do momento adrenalina, pedi uma água no bar do lobby e voltei pra festa no último trio, o da Paz, um pouco antes dele virar da Paulista pra Consolação. Desci pra rua, fui barrado no Uber junto com outros veículos de imprensa e finalizei a Parada no trio Artistas da Noite LGBT, que trazia as drags Salete Campari e Silvetty Montilla.

Imprensa só podia ficar 15 minutos em cada trio, então fiz esse pinga-pinga a festa inteira. Por vocês, pouco rebolei até o chão e minha boca passou i-le-sa pela festa, mas confesso que o ego agradeceu ao ouvir “nossa, oi, fotógrafo!” algumas vezes enquanto eu passava com a câmera em punho de um trio pro outro!

Muito amor no trio das Mães Pela Diversidade, na Parada LGBT 2017

Muito amor no trio das Mães Pela Diversidade, na Parada LGBT 2017

Mas ó, o ano que vem, quero ver vocês todxs lá na Paulista, aumentando ainda mais esse número bombado, mostrando pro nosso Congresso que minoria de c* é rol@ e que estaremos sempre presentes, é um caminho sem volta. Não adianta se fechar pra diversidade, monamu. Já era! Aceita que dói menos.

E, se me virem, no ano que vem na Avenida, manda beijinhos e elogios que agradeço, tá, meu bem? rs

Boy magyah divando num trio da Parada LGBT São Paulo 2017

Boy magyah divando num trio da Parada LGBT São Paulo 2017

 

Pós-Parada LGBT São Paulo

Depois da dispersão, a galera foi ver os shows no Anhangabaú, como comentei, mas Rafinha aqui já estava des-tru-í-dér-ri-m@ e foi pro hotel. Quando cheguei, descobri que o Novotel Jaraguá tinha me colocado num quarto conceito bafo que só tem 3 no mundo!!! Fiz até uma live no Instagram (segue lá!) pra mostrar tudo ao vivo, mas conto sobre isso num outro momento porque vai ter review aqui, claro!

Multidão de cerca de 3 milhões de pessoas ocupa a Av. Paulista durante a Parada LGBT São Paulo 2017

Multidão de cerca de 3 milhões de pessoas ocupa a Av. Paulista durante a Parada LGBT São Paulo 2017

Legal, Rafa, mas e daqui pra frente? Bom, aproveitando a onda do evento, os vereadores Eduardo Suplicy (PT) e Sâmia Bonfim (PSOL) protocolaram no dia 14 de junho, quarta-feira pré-Parada, o Projeto de Lei 399/2017, a fim de tornar a Parada LGBT São Paulo um patrimônio cultural imaterial da cidade. Show, né?

A Unesco entende que patrimônios imateriais são “práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas transmitidos de geração em geração e constantemente recriados pelas comunidades, gerando um sentimento de identidade e continuidade”.

Essa é uma forma de preservar o evento e que acho super válida. Mas o projeto ainda precisa passar por votação na Câmara (bora rezar?) e, caso aprovado, ser sancionado pelo prefeito de SP, João Doria, com quem conto pra mostrar que realmente é trabalhador nesse momento. #ficadica 😉

A drag Tchaka foi a apresentadora oficial da Parada desse ano

A drag Tchaka foi a apresentadora oficial da Parada desse ano

A Skol também deixou seu legado LGBT pra Sampa. Em parceria com a Associação da Parada, criou o Selo Friendly Skol, distribuído em estabelecimentos da região da Avenida Paulista, sinalizando os locais que estão engajados em receber da melhor forma possível os LGBT, sejam locais ou turistas. E junto com o selo, um guia de conduta. Lacrou!

 

🏨Reserve seu hotel em São Paulo

 

👑 Artigo patrocinado pela AccorHotels

>> Acompanhe o Viaja Bi! no Instagram, Facebook e Twitter.

Hospedagem | Seguro Viagem | Câmbio | Aluguel de carro

Compartilhe:
Tags:

Sobre Rafael Leick

Rafael Leick

Publicitário e blogueiro, foi palestrante em seminários internacionais no Peru, a convite dos órgãos de turismo locais, falando sobre planejamento de comunicação e diversidade, com foco na temática LGBT. Morou em Londres e, aos 31 anos, conhece 23 países. Escreve para o Viaja Bi!, Viagem Primata e ExploraSampa. Todos os posts do Rafael.

  • Website
  • Google+
  • Instagram
  • Email

6 Comentários

  • Elaine Leick
    2017-06-22 09:45

    Parabéns pela cobertura. Muito completa e de agradável leitura.

  • Florian
    2017-06-22 20:37

    Rafa, eu vi que muitas bandeiras tinham agregado a cor rosa do lado do vermelho: é uma nova nomenclatura da bandeira, uma inovação ou um erro das pessoas? rsrs
    Também fiquei sem ver muitas referências ao tema do ano… Ano passado (ou retrasado?), houve a representação do Cristo no crucifixo… Mesmo querendo evitar polêmicas, eu imaginava encontrar mais figurinos, mais mensagens, mais representação das religiões… Fui eu que não vi ou realmente o pessoal não investiu muita energia no tema?

    • Rafael Leick
      2017-06-23 00:54

      Oi, Florian. A Doritos fez uma ação propondo a volta da bandeira original, com as 8 cores. Mas era mais por essa ação mesmo, pelo que entendo. Sobre o tema, realmente nem todo mundo entra no clima mesmo. Aliás, o clima nem sempre é o tema rs
      Mas senti essa exposição mais pontualmente tenha acontecido pois é recente o uso do mesmo tema na Parada.

  • Higo Dantas
    2017-07-12 16:36

    Olá Rafael, boa tarde,

    Adorei a matéria, estou realizando o meu TCC e é com foco nos Hospedagem voltados para o público LGBTQ, aproveitei para incluir algumas informações no meu projeto, deixando claro que usei a citação.
    Muito obrigado!

    • Rafael Leick
      2017-07-13 22:37

      Oi, Higo. Tudo bem?
      Fiquei curioso pra ver o resultado do trabalho e como o Viaja Bi! apareceu nesse projeto. Depois me manda, por favor.
      Valeu, bjs

Comentar

Ut tellus dolor, dapibus eget, elementum vel, cursus eleifend, elit. Aenean auctor wisi et urna. Aliquam erat volutpat. Duis ac turpis. Integer rutrum ante eu lacus. Required fields are marked*