14 de abril de 2015

Bruno (protagonista do Torta de Climão) e São Paulo gay

O Viaja Bi! tem o prazer de anunciar uma parceria super legal pra esse ano com um projeto sensação (e sensacional) do ilustrador Kris Barz, que já compartilhamos algumas vezes na nossa fanpage do Facebook, chamado Torta de Climão.

O “Torta” é uma série de tirinhas que mostra o lado engraçado (e às vezes também ativista) de um grupo de amigos gays formado por gente que veio de todo o Brasil para a capital paulista para viver aqui. O projeto teve início em setembro do ano passado e já soma mais de 12 mil seguidores no Facebook, onde as tirinhas são divulgadas, e já ganhou uma versão impressa numa feira de quadrinhos nos EUA.

torta-de-climao-viaja-bi-topo

 

Nessa série de posts, divulgaremos detalhes do background das personagens, que o próprio Kris contou com exclusividade para o Viaja Bi!. E, claro, vamos aproveitar para falar de viagem, que é nossa proposta, né? Como cada personagem é de um canto do país, a cada post da série, vamos procurar fazer um apanhado da cena gay desses lugares. Além da série de posts, vem muito mais coisa por aí junto com o Torta, mas isso fica pra gente contar num outro momento. 😉

Como a turma toda mora em São Paulo, é por aqui que vamos começar nossa série e falando dos dois paulistas do grupo: Bruno, o protagonista e Ana, sua melhor amiga, com quem ele divide apartamento.

 

Bruno, protagonista do Torta de Climão, e São Paulo

Bruno, o protagonista do Torta de Climão, é de São Paulo (Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão)

Bruno, o protagonista do Torta de Climão, é de São Paulo (Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão)

Bruno, o protagonista do Torta de Climão, tem 26 anos e é redator de agência de conteúdo, ou seja, é uma #BiComunicativa. E já comunicou pra todo mundo que conhece sobre seu “lado bi“, não tem vergonha de mostrar pro mundo que é gay, mesmo que parte da sua família não aceite muito bem. Seus pais não falam muito sobre o assunto, na real.

Mas isso hoje tem um pouco menos impacto em sua vida, já que ele saiu do interior de São Paulo, onde morava pra trabalhar na capital paulista e agora se sente um paulistano de carteirinha.

O que pega pra ele é que mesmo com essa mudança, ele ainda é muito inseguro e questionador de si mesmo. Ele se preocupa muito, por exemplo, em dar pinta (mas quando encontra os amigos, usa gíria gay até não poder mais) e essa postura é uma das coisas que o faz não ter uma opinião formada sobre a Parada Gay. Ama viajar, mas só se for com alguém, porque entra em pânico só de pensar na ideia de viajar sozinho. Ele se importa com as causas do público LGBT, é contra a homofobia, mas não lê muito sobre os direitos gays e se cobra por isso.

Bruno, #DicaDoRafa: leia sempre o Viaja Bi! que você vai ler algumas curiosidades sobre os direitos gays mundo afora, como por exemplo, descobrir os 20 países mais homofóbicos do mundo ou que a Finlândia votou a favor do casamento gay ou até que alguns países reconhecem o 3º gênero. E tudo isso, obviamente, misturado com viagem.

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

Por falar em viagem, vamos conhecer o perfil de viajante do Bruno?

Ele não gosta muito de praia, então Búzios, Cancun, Porto de Galinhas, nenhuma dessas seria um bom destinos pra ele. Também não viaja somente para destinos “gays”. Ele é uma bi do interior que começa a perceber a cidade grande, então é bem urbano, não tão ligado com a natureza (será que ele gostaria do Jardim Botânico de São Paulo?). Mas, como uma #BiDramática que oscila entre o romântico incurável e um decepcionado com o amor, se estivesse namorando, ele amaria ficar hospedado numa pousadinha romântica mais isolada do mundo com seu amor, então Santo Antônio do Pinhal, Campos do Jordão ou Gramado seriam dicas excelente pra ele nesse caso.

Mas a bi tá solteira (mandem currículos para o contato@viajabi.com.br rs) e é sonhadora/idealizadora, então, Londres, Nova York, São Francisco e as principais capitais do Brasil funcionariam melhor. Afinal, essas cidades estão cheias de balada. E, claro, balada gay em São Paulo é o que não falta, né, gente? Mas essa insegurança do Bruno se reflete até nisso. Apesar de gostar muito de andar com os amigos e parar em bares e/ou botecos pra botar o papo em dia lá pela Avenida Paulista, Rua Frei Caneca e pela Rua Augusta, que formam o principal núcleo gay de Sampa, ele fica indeciso até na hora de escolher a balada e acaba escolhendo o que os amigos querem. Mas isso não é de todo mal, porque ele acaba conhecendo um pouco de cada tipo de balada em SP, ou seja, é bem versátil pra balada. #BiEspertinha #BiSafadinha

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

E já que estamos falando em versatilidade e já falamos de algumas encanações dele, o Kris me contou que ele até se libertaria numa sauna gay, por exemplo, mas nunca, tipo NUNCA, contaria isso pra alguém. Talvez só pra Ana, que sua #BFF, mas ainda assim, pensaria umas 42 vezes antes. Bi, se liberta mesmo, põe a cara no sol, mana!

Mas, calma, ele é gente como a gente e também tem a famosa relação de amor e ódio com os aplicativos de pegação, como Grindr, Hornet e Tinder e sites de relacionamento tipo Badoo. O que significa isso (como se você não soubesse)? Que ele usa, aproveita, mas depois deleta tudo porque conheceu algumas pessoas e se frustrou. É, Bruno, vem cá chorar no nosso ombro, gato.

Sabe o que é, gente, o Bruno é um fofo do tipo nerd/geek, que ama cinema hollywoodiano, viagens e considera inteligência um afrodisíaco que o faria convidar o boy pra ver filme em casa. Até assistiria filmes menos blockbusters, como Pride, pra conquistar o boy, porque ele é super caseiro, sabe? Nem com moda ele se importa muito, apesar de achar o tema interessante. E como teve namoros curtos e frustrados, ele acaba se cobrando demais. Não dá vontade de pegar e colocar no colo? Epa, não é nesse sentido, que maldade! Ele é fofinho e super sociável, um querido. Queria entrar nas tirinhas do Torta de Climão e apertar a bochecha dele!

Ele tem a autoestima um pouco baixa, mas quando ele vence a preguiça, vai pra academia malhar e deixar o corpitcho sarado. Só não é viciado em ganhar músculos que nem o Lino, a “barbie” do grupo 😉

Esse é um resumão do Bruno. Gostaram?
Leia todas as tirinhas publicadas aqui.

 

ANA E SÃO PAULO

Ana, amiga do Bruno, também é de São Paulo (Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão)

Ana, amiga do Bruno, também é de São Paulo (Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão)

Ana é a fag hag da turma. Não conhece essa gíria? É aquelas amigas modernas que são quase tão gays quanto seus melhores amigos gays, tipo Will & Grace. Conhece alguma assim?

Ela tem 27 anos, adora gatos, é psicóloga, feminista e paulistana da gema. Mora junto com o Bruno e conheceu seu roomate através do Pedro, de quem é amicíssima! Ela na verdade já conhece o Bruno há uns 5 anos, mas há poucos meses é que resolveram morar juntos. Adooooora todos seus amigos gays e está sempre acompanhada de algum deles, inclusive falando com fluência o “bichês”, vamos dizer assim. :p

Seus pais já se acostumaram com a turma toda, mas como ela vive muito inserida na cultura LGBT, seus namorados/rolos às vezes tem problema com isso. Sim, ela é hétero, gente, mesmo já tendo experimentado ficar com meninas. Contei!

E os problemas que os namorados enfrentam é o ciúme, porque a bi não larga dazamigue, sabe? E ela conheceu alguns caras que eram homofóbicos e/ou muito ciumentos, então já viu… Mas qualquer um que fosse louco de pedir pra ela escolher entre namorado ou amigos, ficaria chupando o dedo sozinho, porque ela não abre mão. #BiCompanheira

Mas o Kris me confessou que ela também é um pouco ciumenta, mas com os amigos e fica POS-SES-SA se ficar de fora do que tá rolando no grupo. Ela inclusive deixa um pouco a vida dela de lado por conta dos amigos gays. Não é à toa que os bofes ficam com ciúmes, né, dona Ana?

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

E o perfil de viajante da Ana?

Ela é nascida em São Paulo e é bem urbana, como o Bruno, mas também curte ir pro litoral. Falando em praia, ela ficaria numa boa peladona numa praia de nudismo. Portanto, Ana, você pode arriscar FloripaMykonos e como você é quase uma gay, St. Laurent d’Eze, no sul da França, na belíssima Riviera Francesa, é uma opção e tanto.

Como ela adora a Parada Gay, tenho certeza que ela piraria vendo como foi a Parada Gay de Auckland desse ano, com tantos grupos diferentes reunidos.

Aqui em Sampa, o lugar preferido dela é o bairro da Liberdade, onde fica a maior comunidade japonesa fora do Japão e onde, de domingo, rola uma feirinha bafônica na hora do almoço. Por falar em comida, ela é vegana então tem sorte de ser paulistana também, porque existem várias opções de restaurantes veganos e vegetarianos na capital. O restaurante Obá, que é gay-friendly e fica na região dos Jardins, oferece, por exemplo, um cardápio vegetariano e de saladas. Aliás, São Paulo é uma das capitais gastronômicas do mundo, oferecendo todo tipo de comida, a qualquer hora e em preços bem variados.

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

Ilustração: Kris Barz / Torta de Climão

A Ana tem um gosto musical bem alternativo e adora ir a lugares alternativos da noite paulistana. Ou seja, ela é a alternativa hétero do grupo. Ok, o trocadilho foi péssimo, mas o importante é dizer que ela é super “lado B”. Ah! E ela adora eventos culturais e festivais, como o Festival Mix Brasil, que rola em Sampa e onde tive a oportunidade de entrevistar o bafônico ator pornô Colby Keller (#sdds).

Esse é um resumão da Ana. Gostaram?
Leia todas as tirinhas publicadas aqui.

 

Veja tudo que já publicamos sobre São Paulo

 

Bom, galerê, espero que tenham curtido conhecer um pouco mais das personagens do Torta de Climão nessa parceria belíssima que estamos fazendo com eles. Ainda tem muito mais coisa por vir, vamos falar das outras personagens e suas cidades de origem, com conteúdo exclusivíssimo que o autor da HQ Kris Barz contou pra gente.

Então, fica de olho, que esse é só o começo. Segura, Brasil!

 

Compartilhe:
Tags:

Sobre Rafael Leick

Rafael Leick

Publicitário e blogueiro, foi palestrante em seminários internacionais no Peru, a convite dos órgãos de turismo locais, falando sobre planejamento de comunicação e diversidade, com foco na temática LGBT. Morou em Londres e, aos 31 anos, conhece 22 países. Escreve para o Viaja Bi!, Viagem Primata e ExploraSampa. Todos os posts do Rafael.

  • Website
  • Google+
  • Instagram
  • Email

1 Comentários

Comentar

Ut tellus dolor, dapibus eget, elementum vel, cursus eleifend, elit. Aenean auctor wisi et urna. Aliquam erat volutpat. Duis ac turpis. Integer rutrum ante eu lacus. Required fields are marked*